sábado, 25 de julho de 2020

Dores de cabeça, medicamentos e alimentação

Olá,

Depois que fiquei encantada com
Maria Montessori e Paulo Freire,
comecei a ler sobre a
Pedagogia Waldorf. 
Como vai a sua quarentena? Crochetei um pouco durante a minha:

Quando fui percebendo que medicamentos não fariam efeito desejado para combater a Síndrome de Ovários Policísticos (SOP) e que sou uma pessoa no TEA, fui mudando a minha alimentação.

Primeiro, eu cortei o açúcar (branco, demerara, mascavo, coco e light).

A qualidade de sono melhorou, pois o açúcar é energético e me deixa muito agitada. 

Eu sou muito sensível (uma comorbidade do TEA), por qualquer motivo fico com insônia, enjoos, dores de cabeça e no corpo - principalmente, pescoço e ombros -. Esses sintomas são desde a infância. 

Dependendo da intensidade, a dor de cabeça acaba comigo. Indo ao médico - neurologista -, ele pediu para que eu observasse as dores e o que as teria provocado. Na época, ele me deu um papel para ir preenchendo, isso faz tempo. 

Mas eu achei um aplicativo no PlayStore: Migraine Buddy ou Enxaqueca Buddy! Ele é focado para pessoas que tem crises de dores de cabeça, principalmente enxaquecas. Ao apresentar uma crise, a pessoa preenche detalhadamente variáveis, tais como: hora de início; hora de fim; tipos de crise; nível de intensidade da dor; regiões de localização da dor; tipos de medicação usadas; métodos de alívio; sintomas; etc. Tem em versão português, com alguns errinhos... 

Todas as vezes que tinha uma crise eu preenchia detalhadamente. Até ir percebendo que uma coisa ou outra passava despercebido e podia estar me provocando mal estar. 

Além do açúcar (demerara, mascavo, coco, light), descobri que a glicerina (glicerol), dextrose, maltodextrina e farinha de trigo branca me afetam. O açúcar no meu corpo é tipo veneno de cobra... é natural, mas não faz bem. 

Estou aproveitando para me adaptar a dieta LOWCARB. Não é fácil mudar a alimentação. No início, dá a impressão que você vai passar fome. Mas depois acostuma. 

Como faço uso da medicação para Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG, mais uma comorbidade do TEA) - Cloridrato de Duolextina 60 mg/dia que possui sacarose (açúcar) na composição, fico controlando a alimentação para não impactar tanto o meu dia a dia. 

Eu amo coisas que facilitam o meu dia a dia, por causa da jornada de trabalho. Mas estou aprendendo que existe uma forte diferença no nível de qualidade quando se prefere desembalar do que descascar

Os produtos embalados DIET/LIGHT até possem informações no rótulo, mas não são tão transparentes como eu gostaria. Exemplo: 

Para ser Light, o o produto tem leite sem sua gordura natural (nata) e sem açúcar, mas o produto final - para ficar mais 'encorpado' - ganhou gordura vegetal e maltodextrina. Seis ou meia dúzia? (Esse é um dos métodos cabulosos que eu arrumei para tomar leite, porque eu não tomo e já fui advertida pelo médico várias vezes. Nem leite animal e muito menos o vegetal.)

E não só os produtos alimentícios:

Comprei esse medicamento a base de dipirona monoidratada para usar em momentos de dores de cabeça, mas tinha glicerol (glicerina).  Já reclamei com a empresa. À base de ibuprofeno, o ALIVIUM  também tem glicerina, já o BUSCOFEM não.

Enfim, para você - atípico ou não - cuidado com alguns ingredientes dos produtos chamados DIET/LIGHT. 

Para cozinha, eu recomendo o tomate seco LowCarb da Paty Goes:



Para leitura, eu recomendo:




Alerta: NÃO SOU VEGANA OU VEGETARIANA, mas amo alguns produtos veganos! 

Boa quarentena!

Nenhum comentário:

Postar um comentário