sábado, 18 de janeiro de 2020

Educação, política e Paulo Freire

Olá,

Eu não estou em clima de ENEM, porque não fiz a prova. Mas estou vendo a confusão por causa da suspeita de erros na pontuação. 

Teve ainda a infeliz semelhança do discurso do ex-secretário de Cultura, Roberto Alvim, com uma citação de um membro do Partido Nazista, Joseph Goebbels

Muitos do governo de Jair Bolsonaro se declaram conservadores, e aqueles que possuem canais no Youtube detestam Paulo Freire.

Como educadora, não tem como sair imune diante de tantas ideologias, opiniões e ações sobre a Educação no Brasil.

E, por causa da biblioteca do meu trabalho, tive a oportunidade de ler um livro sobre Paulo Freire escrito por Celso de Rui Beisiegel para a Coleção Educadores lançada pelo MEC em 2010.

O autor, Celso, fez um resumo das ideias centrais de Paulo Freire. Para dar um opinião mais autêntica eu teria de ler todas as obras dele e de outros autores que o influenciaram. Então, a minha opinião é bem falha.

Mas uma coisa é certa: fiquei encantada!

Para ler Paulo Freire é necessário voltar no tempo, pensar nas realidades socioeconômicas que ele presenciava. Mesmo sendo um homem muito intelectual, ele se sensibilizou o suficiente para dedicar um método para ANALFABETOS ADULTOS TRABALHADORES

Como escrevi, a minha opinião é bem falha. Não sei se ele chegou a atuar na Educação Infantil, ainda não li nada a respeito. 

O adulto trabalhador tem uma bagagem histórico cultural que não pode ser desconsiderada quando se vai trabalhar junto a ele. 

A cultura desses trabalhadores, tão desprezada pelos intelectuais dessa época, me lembra a história da empresa O Boticário. A perfumaria da época da fundação da empresa - anos 70 a 80 - era dominada pelos perfumes franceses. O seu fundador, o farmacêutico Miguel Krigsner, começou a mistura ingredientes de forma a conseguir perfumes mais suaves e florais, que lembrassem mais o clima quente e florido do nosso país.

Cultura não é só escutar música clássica, ler livros recomendados ou ir a teatros. Vai além disso, até o preparo de uma determinada comida é algo cultural. E sabemos que em um país tão grande, a cultura será muito diversa. 

É fácil pensar isso tudo nos dias de hoje, quando temos a internet que permite assistir um vídeo feito no outro lado do mundo AO VIVO. 

A criança, por lei, deve frequentar uma escola onde aprende muitas coisas que serão úteis no seu dia a dia. Mas a criança frequenta, ela não vive na escola. Ela convive com a família, repleta de adultos trabalhadores e, às vezes, analfabetos. 

E se naquele ambiente de vivência ela não consegue, com a ajuda dos seus responsáveis, colocar em prática um aprendizado, ela não levará isso adiante. 

Paulo Freire fez algo nos anos 60 - com adultos trabalhadores analfabetos - pensando nos anos 2000 - com os futuros netos e bisnetos alfabetizados daqueles trabalhadores...

Nossa! Até o momento, Paulo Freire é o "cara". Mas admito: não li todas as obras escritas por ele e não tenho conhecimentos sobre as obras de Karl Marx
-------

Eu faço um curso de pós graduação a distância e o autor cita o tempo todo sobre uma cultura superior que muitos não possuem... e no momento eu estava escutando uma música do Almir Sater... será que músicas assim são consideradas culturalmente inferiores por esses intelectuais?
-------

O MEC liberou um e-mail para quem deseja a revisão das notas do ENEM 2019. ENEMZEIROS: Vai lá, faz aquela expressão do gato de botas e pedi uns pontinhos... 😘 


------------
Não sei se seria erro meu, mas foram 6 cores de provas, logo 6 gabaritos diferentes.
Se inscreveram para o ENEM 2019, aproximadamente, 5 milhões de candidatos.
5 milhões ÷ 6 cores ~ 833.000 provas/cor. Com a troca de gabarito pela gráfica, o INEP alega que o erro atingiu menos de 30 mil candidatos. Será?
🙈🙉🙊
-------
Tchau,

Carla

Nenhum comentário:

Postar um comentário