quarta-feira, 30 de dezembro de 2020

Meu primeiro panetone

Oi!

Estive sumida por causa do trabalho (teletrabalho me sugou) e, também, porque tive COVID-19. 

Fiquei um mês com intensa dor no pescoço, dor de cabeça e cansaço, mas só descobri que era COVID-19 quando na véspera de Natal perdi o olfato e paladar.  Pelo sintomas iniciais, achei que fosse estresse, até mesmo porque o exame sorológico deu resultado negativo. Sim, o exame sorológico não é o ideal, mas foi o plano de saúde que mandou eu fazer e, na verdade, estava meio apagada pela doença que nem pensei direito. Só aceitei o que foi pedido, e dia seguinte vi o resultado. 

Sorte das pessoas é que estou evitando aglomeração. Então, imagino que não devo ter espalhado tanto o novo coronavírus por aí. 

De qualquer forma, como continuo com tratamento para ansiedade tenho evitado telejornais e outros locais de aglomeração virtual, onde pode se estar sujeita a 'spams de mensagens', fake news, e agressividades de todos os gêneros. 

Mas não fiquei incomodada com a demora, lentidão para o nosso país adquirir uma vacina... penso que como é algo tão 'novo' deixa os outros experimentarem e contarem para nós se o resultado realmente faz jus a fama. Nem sempre ser o último da fila é a pior coisa do mundo. 

Retornando o ânimo, consegui fazer uma receita de Panetone que vi na internet. Olhei várias receitas (Tudo Gostoso, Comidinhas do Chef e Panelinha), mas optei pelo Panelinha porque achei a proporção mais apropriada para quem mora sozinha. Às vezes, acerto de primeira, muitas vezes não. 😑😁

Eu sou do tipo "quem não arrisca, não petisca" e "se comeu e morreu, a culpa é toda sua", então eu nunca sigo a receita direitinho, entendeu?!


Eu não estava 100%, e ao pegar os ingredientes não diferenciei a farinha de trigo integral e farinha de aveia. Logo, a esponja que deveria ter sido feita com farinha de trigo foi feita com aveia. Meus olhos também estavam cansados, ardendo. 

Troquei o vinho por suco de uva de forma intencional, porque não estou bebendo álcool.  Também foi alterado o açúcar por adoçante, por causa do índice glicêmico. Não é fácil encontrar gotas de chocolate ZERO AÇÚCAR para comprar, por isso só usei uvas passas.

A receita é boa, mas achei que ficou com forte sabor cítrico. Numa próxima, vou colocar o sumo de  uma laranja ao invés de raspas de uma laranja. Vai entrar no lugar do leite. E mais sabor de baunilha. 

Pensei em colocar na forma de panetone (aquela de papel pardo), mas acabo comendo papel junto com o panetone (depois que comprei um pacote com 10 formas é que pensei nisso😑😁), então fiz na forma de pão (aquelas de alumínio) mesmo. 

Existe aquelas receitas com fermentação natural, sem adicionar fermento biológico. Achei interessante, mas quis chegar aos poucos nessa receita. Eu gosto de comparar e fiz isso com o: panetone caseiro X um industrializado (Panettone Nestlé Classic Zero Açúcar - com gotas de chocolate). O caseiro não se distanciou tanto na qualidade de sabor. Sovar é uma boa ideia para liberar a raiva reprimida, em tempos de pandemia isso é importante 😑😁. 

Por ser integral, não tem aquela "cor amarelinha" da gema de ovo.
Talvez adicionar outras farinhas melhore,
mas também penso que meu panetone personalizado
não tem obrigação de ser igual ao industrializado. 


Vou alterar essa receita para ficar para uma segunda versão 'menos cítrica' e depois compartilho.

Desejo paz, amor, saúde e forças para continuar nossa jornada nesse 2021! Tenha fé, dias melhores virão!

Com carinho,

Carla

terça-feira, 15 de dezembro de 2020

Universidade pública para quem?

 Oi,

Eu não gosto de pensar assim. Eu tento manter meu pensamento positivo o máximo que posso, mesmo nas adversidades.

Mas há aquele momento que não aparece uma luz no fim do túnel. Vamos para a história!

Eu menti. Eu fiz o ENEM 2019. Não estudei nada e trabalhei em dois horários. 

Mas fiz os dois dias. E aí estão as minhas notas:


Eu estava tentando fazer tudo com discrição para evitar confronto ou perseguição por parte de alguém (por incrível que pareça aconteceu isso no meu trabalho). Mas acho que não tem jeito. 

Os mesmos problemas de novo. É uma coisa meio estarrecedora. 

Fico imaginando qual será meu fim, caso entre na UFMG. Envenenamento? Estrangulamento?   

E talvez privativar não seja uma solução tão ruim assim, não é?!  Qual será o "crivo" dessa vez?

A universidade pública só tem sido pública no nome. 

Que esquerda que é essa que só tenta agradar a direita e ao centro? 

Tchau,

Carla

sexta-feira, 20 de novembro de 2020

"O racismo não existe no Brasil"

Olá,

O nosso vice-presidente Hamilton Mourão alega que no Brasil não tem RACISMO.

Ele acredita que RACISMO foi o que ele pode presenciar durante um intercâmbio (?) nos Estados Unidos da América, onde os ‘negros e outros minorias’ tinham filas diferentes para não se misturarem com os ‘brancos’.

Tem coisas que precisamos viver para saber. E alguns nem vivendo conseguem aprender.

Em 2001, durante um momento de intervalo de aulas do curso superior de Ciências Biológicas, conversamos com colegas sobre ancestrais contei que era mestiça, mas tinha mais traços indígenas ... uma das estudantes até virou os olhos e rosto de nojo... ela tinha família toda de ancestralidade italiana. Mas uma outra alegou ter ancestrais árabes e não foi repudiada como eu.

Nessa mesma época, comecei a observar que as pessoas  ao se aproximarem de minha pessoa se tornavam agressivas e com ‘conversas muito pornográficas’.

Em 2013, participei dos protestos ‘anticorrupção’ que aconteceram principalmente saindo do centro comercial de Belo Horizonte (Praça Sete) e indo em direção ao Mineirão durante os jogos da COPA DAS CONFEDERAÇÕES FIFA 2013 (Presidência Dilma Rousseff/Michel Temer). Ao ir embora e bem longe de lá (na região do Shopping Estação) fomos abordados por dois policiais. Éramos três moças (duas de pele mais clara e eu mais morena) e um rapaz de pele mais negra, bem negra. E os policiais não paravam de questionar, mas não queriam saber minha opinião ou das outras moças... somente do rapaz. E isso foi passando 5 minutos, 10 minutos, 15 minutos, ... (as perguntas se repetiam, e somente era ‘escutado’ as falas de uma pessoa, é como se, de repente, eu e as outras moças fossemos invisíveis e mudas) ..., 20 minutos, 25 minutos, 30 minutos... fui achando estranho:

- É gente! Foi só isso, vamos?

E eles não deixavam ele ir. Aquilo começou a me incomodar muito. De qualquer forma, nós três não saímos dali enquanto os policiais não foram embora. Graças a Deus, eles foram embora e nós também!

A partir desse dia, aprendi que rapazes de minorias sociais devem ser deixados na porta de casa, por questão de segurança. Vai que lobo mau pega!

Nem sempre as pessoas que me agrediam eram homens de padrão germânico (brancos e de olhos azuis) ... nem vivencio em lugares onde eles estão com mais frequência. Mesmo que não seja por essas pessoas não significa que não seja preconceito.

Vejo muitos filmes onde negros alcançam posições mais valorizadas (amei o "Estrelas além do tempo"), com muita esforço e dedicação. E muitos não conseguem se espelhar neles. Não por preguiça ou vagabundagem. Mas porque é extremamente difícil lidar com o preconceito, com pessoas que te odeiam ou com a ideia de não voltar vivo amanhã para casa. Não é fácil.



Tenho de admitir que fico confusa sobre o que mais incomoda os outros no meu jeito singular: a cor ou excesso de quietude. Ou será os dois?

Só para pensar.

Tchau,

Carla

sábado, 7 de novembro de 2020

E chegamos em Novembro/2020

 Oi! 

Tem tantas falácias e comemorações no Brasil estranhas...

-----

O que você ganhou ou perdeu com a vitória do Donald Trump? 

O que você ganhou ou perdeu com a vitória de Joe Biden?

Foi interessante ver um homem de cor - Barack Obama - conseguir duas vitórias nos EUA, em um país de raiz escravocrata como o nosso. 

----

Que o professor japonês NÃO tem obrigação de reverenciar o imperador? Além de ser MENTIRA, eu também continuo sem ganhar nada com isso. E nem data específica, como no Brasil, para homenagear pessoas do magistério tem. 

Não conheço várias culturas, mas o único imperador que teve respeito maior pelo magistério foi DOM PEDRO I. E D. PEDRO II queria ser professor, provavelmente, de Letras. 

E Quanto a valorização? As condições estão bem longe do ideal, mas eu me surpreendi ao saber que vários métodos educacionais estrangeiros, em seus países de origem, também são considerados alternativos e de rede particular, mesmo que seus criadores tenham a desenvolvido em ambientes para deficientes e pobres. 

----

Muitos defendem ideais de "esquerda", mas já viu a quantidade de bilionários russo que se tornaram visíveis com a queda da URSS? E os da China? 

Cuba só não tem tantos ricaços, porque é um país pequeno. 

----

Bem desanimada e ainda tem a segunda onda da COVID-19... ai...

Tchau,

Carla

terça-feira, 27 de outubro de 2020

Vacina para COVID-19!

 Oi!!!

A vacina chinesa já foi aplicada na China? 

Gostaria que alguém me explicasse essa singularidade na transmissão do COVID-19 em um lugar tão habitado, extenso e com fronteiras por terras. 


Coloquei em ordem alfabética (esquerda para direita/cima para baixo).

Dá um receio dessa vacina deles, não é?! 😬

Tchau,

Carla

segunda-feira, 12 de outubro de 2020

Dificuldade de entender política!

Oi,

Eu tenho dificuldades para entender as coisas. Ok, tenho algumas dificuldades de aprendizagem, sou mais lenta que os outros.  

Às vezes, tento acompanhar algo sobre política atual brasileira... mas acho muito confuso, principalmente, porque a imprensa nunca se mantém neutra. E isso é em qualquer lugar!

Vamos a um exemplo prático:

Reportagem: Flávio acima de todos

Resumo: Informa sobre a influência de Flávio Bolsonaro sobre a atual presidência.

Fonte:

O antagonista – site com notícias políticas que alega ser o maior e mais influente do Brasil.

Fundadores do “O antagonista”: 


Sentiu a dificuldade? Desejo que um dia, isso tudo fica bem florido e ROSA!!!!

Tchau,

Carla


quarta-feira, 30 de setembro de 2020

As puritanas

 Às vezes, fico um bom tempo sem assistir a programas ‘normais’. E demoro a saber das ‘novidades’. Então, me obrigo a assistir a programas como Fantástico, para ficar mais a par do que acontece.

Fiquei sabendo dos barracos da Classe Média do Rio de Janeiro.

O vídeo da moça do biquíni, eu tive de assistir 4 vezes para conseguir entender o que as pessoas chamavam de putaria.

Um calorão danado, tudo mundo derretendo, a moça de biquíni (Nossa! Que corpo bonito! Que inveja!) dando uma volta em conversível (pô, a galera está podendo!) me leva uma garrafada. E ela ficou muito brava. Identificou a agressora (eu a apelidei de ‘puritana’), saiu do carro e revidou.

Bem, não é algo agradável brigar (verbal e/ou fisicamente) em público, mas a gente tem de se defender. E a moça do biquíni se defendeu.

Mas ela teve de sair correndo, porque um homem – porte grande – foi atrás dela para defender a ‘honra’ da puritana. Honra????? (Nossa! Que peitões! Eita recalque!).

Eu ficaria horrorizada se o motorista do conversível tivesse batido na ‘puritana’ ... eu ficaria horrorizada se a moça do biquíni tivesse batido nas crianças daquela ‘puritana’ (ela alegou que estava com os filhos dela lá!)...  mas não foi isso que aconteceu!

Quem começou com a putaria mesmo?

...

Ontem saí para comprar um pote de sorvete ZERO AÇÚCAR, porque estou derretendo. Esse calor está difícil para dormir e acordar! E estamos na pandemia! Oh vida!

Tchau,

Carla

domingo, 27 de setembro de 2020

Paulo Freire e a Educação Bancária

 Olá,

Nesse período de pandemia e isolamento forçado, eu - professora - fui orientada a participar de 'lives', 'workshops', cursos, aulas, e outros, sobre a Educação. 

Uma das 'lives' é uma série de homenagens ao Paulo Freire. Amados por uns e odiados por outros, ele faz parte da Educação Brasileira

Consegui ler um livro dele 'A importância do ato de ler' (da biblioteca do meu trabalho), e é perceptível como - diante do público que ele atuou (o que hoje chamamos de EJA) - a importância desses outros tipos de leitura, não somente a escrita. 

Aliás, é algo defendido por Johann Heinrich Pestalozzi, um dos precursores da Escola Nova, Escola Progressista ou Escola Ativa. Pestalozzi defendia que o educando deveria ser o protagonista da sua Educação e, de acordo com uma observação que ele fez de uma mamãe com seus filhos ele conclui a importância da fala e comunicação antes da escrita e, que o aprendizado é mais eficaz quando existe afeto. 

Emmi Pikler, Maria Montessori, Rudolf Steiner (Abordagem Waldorf) e Loris Malaguzzi  (Abordagem Reggio Emília) também enfatizam a criança como protagonista da sua Educação, mas cada um com suas peculiaridades. Por exemplo, a abordagem desenvolvida por Emmi Pikler foca mais em crianças de 0 a 3 anos de idade (vocês não tem noção do medo que eu tenho da 'moleira' do neném novo 😱😱😱😱).

Todos eles desaprovam o que Paulo Freire apelidou de 'Educação Bancária', isto é, um depósito/transmissão - repleta de saliva - do conhecimento do professor para o aluno (ser ignorante e sem luz) que deverá permanecer imutável em seu banco (cadeira mais largas de madeira ou cimento).

Todos esses educadores estudiosos vivenciaram momentos de muita dificuldade em suas vidas, com muita fome, brigas, ausência de diálogo, preconceito, machismo, racismo e solidão. Alguns até as Grandes Guerras Mundiais. 

E todos os educadores aqui citados trabalharam com minorias sociais, ou seja, pobres ou rejeitados pela sociedade ou meninos de rua ou abandonados em hospitais psiquiátricos/orfanatos ou adultos analfabetos trabalhadores (Paulo Freire). É até estranho imaginar a abordagem/metodologia deles como artigo de luxo almejado por escolas particulares caras.

Todos essas abordagens pedagógicas são considerados métodos de Educação Alternativa, mesmo com estudos comprovado a eficácia.

No caso do Pestalozzi, Montessori e Paulo Freire dá para perceber fortes ações missionárias, mas não percebi o enfoque em mudar a religião do outro. Talvez tenha lido muito pouco. É que tem pessoas que são assim: "... por Cristo, com Cristo e em Cristo..."

Os 'haters' do Paulo Freire alegam que ele e suas ideias comunistas contaminaram as Universidades Públicas. Eu estudei na Universidade Pública de 2001 a 2006 e não vi nenhuma dessas teorias sendo aplicadas nem nas aulas focadas em Licenciatura/Pedagogia. 

Não entendo odiar tanto algo que não existe na prática. Pode ser que nos projetos de Extensão Universitária aconteça algo mais. 

Meus professores universitários praticavam a 'Educação Bancária', porque foi o jeito que eles foram educados e alcançaram seus objetivos. Isso não significa que a maioria da população mundial tenha obtido sucesso dessa forma.

Quebrar um ciclo vicioso é muito difícil, dá trabalho a longo prazo, mas acho que vale a pena. 

Com carinho,

Carla

terça-feira, 11 de agosto de 2020

Pandemia e máscaras sem elástico

 Olá,

Parece existir uma campanha para colocar a culpa da Pandemia do Novo Coronavírus nas falas - alguns julgam como inapropriadas - do presidente Jair Bolsonaro.

Existem ações a nível Federal, Estadual e Municipal. A partir de Fevereiro/2020, o presidente declarou Estado de Emergência e liberou uma portaria - Portaria 188, de 03 de Fevereiro de 2020 - com algumas orientações, e tudo assinado pelo ainda Ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta. 

Caso algum político tivesse interesse em evitar tantas mortes pelo vírus, devia ao mesmo ter feito alguma ação ou campanha contra o carnaval desse ano. Ou já ter iniciado campanhas de distanciamento, higiene e uso de máscaras de tecido.

Se após a portaria, nenhum governador ou prefeito se precaveu assim, não sei se realmente tinha tanto interesse em diminuir o avanço da doença COVID-19

Quase mudando de assunto... 

Às vezes, fico escutando algum vídeo no Youtube e vou fazer algo artesanal. Esses dias, eu estive escutando o Alexandre Costa - mas parei de vê-lo porque me irritou muito quando falou sobre a Educação e repetência... ele já ouviu sobre neuroaprendizagem? 😠 - e fiz algumas máscaras para mim e alguns familiares:



Eu comprei - faz um tempo - uma máquina de costura portátil da Philco... ela é bem simples... dá para costurar somente duas camadas de tecidos... muito limitada e barata. É para aprendiz sem dinheiro. O ponto caseado é para ter certeza de que não vai descosturar, e fica bonitinho também (usei a linha Camilinha 40 m, a Cleinha também é boa, mas não vende onde moro). Maioria das vezes uso tricoline, mas aproveitei um resto de tecido de um vestido longo que tinha. Consegui fazer oito máscaras com esses tecido com fundo preto (o ex-vestido longo... agora é curto). 

Faço um pouco largo, porque tudo me incomoda. Esses nem elástico tem. 

Mas me surpreendeu a máscara da Duquesa de Cambrigde - Catarina Middleton -! Que gastura! Apertado!!! 😖😖Pela expressão dos olhos, ela não está sorrindo e a máscara está afundando na bochecha! Aiiiiiiiiiiii.

Imagem do site Metrópoles
Reportagem e imagem do site Metropoles.

Boa quarentena!

Abraços!

sábado, 25 de julho de 2020

Dores de cabeça, medicamentos e alimentação

Olá,

Depois que fiquei encantada com
Maria Montessori e Paulo Freire,
comecei a ler sobre a
Pedagogia Waldorf. 
Como vai a sua quarentena? Crochetei um pouco durante a minha:

Quando fui percebendo que medicamentos não fariam efeito desejado para combater a Síndrome de Ovários Policísticos (SOP) e que sou uma pessoa no TEA, fui mudando a minha alimentação.

Primeiro, eu cortei o açúcar (branco, demerara, mascavo, coco e light).

A qualidade de sono melhorou, pois o açúcar é energético e me deixa muito agitada. 

Eu sou muito sensível (uma comorbidade do TEA), por qualquer motivo fico com insônia, enjoos, dores de cabeça e no corpo - principalmente, pescoço e ombros -. Esses sintomas são desde a infância. 

Dependendo da intensidade, a dor de cabeça acaba comigo. Indo ao médico - neurologista -, ele pediu para que eu observasse as dores e o que as teria provocado. Na época, ele me deu um papel para ir preenchendo, isso faz tempo. 

Mas eu achei um aplicativo no PlayStore: Migraine Buddy ou Enxaqueca Buddy! Ele é focado para pessoas que tem crises de dores de cabeça, principalmente enxaquecas. Ao apresentar uma crise, a pessoa preenche detalhadamente variáveis, tais como: hora de início; hora de fim; tipos de crise; nível de intensidade da dor; regiões de localização da dor; tipos de medicação usadas; métodos de alívio; sintomas; etc. Tem em versão português, com alguns errinhos... 

Todas as vezes que tinha uma crise eu preenchia detalhadamente. Até ir percebendo que uma coisa ou outra passava despercebido e podia estar me provocando mal estar. 

Além do açúcar (demerara, mascavo, coco, light), descobri que a glicerina (glicerol), dextrose, maltodextrina e farinha de trigo branca me afetam. O açúcar no meu corpo é tipo veneno de cobra... é natural, mas não faz bem. 

Estou aproveitando para me adaptar a dieta LOWCARB. Não é fácil mudar a alimentação. No início, dá a impressão que você vai passar fome. Mas depois acostuma. 

Como faço uso da medicação para Transtorno de Ansiedade Generalizada (TAG, mais uma comorbidade do TEA) - Cloridrato de Duolextina 60 mg/dia que possui sacarose (açúcar) na composição, fico controlando a alimentação para não impactar tanto o meu dia a dia. 

Eu amo coisas que facilitam o meu dia a dia, por causa da jornada de trabalho. Mas estou aprendendo que existe uma forte diferença no nível de qualidade quando se prefere desembalar do que descascar

Os produtos embalados DIET/LIGHT até possem informações no rótulo, mas não são tão transparentes como eu gostaria. Exemplo: 

Para ser Light, o o produto tem leite sem sua gordura natural (nata) e sem açúcar, mas o produto final - para ficar mais 'encorpado' - ganhou gordura vegetal e maltodextrina. Seis ou meia dúzia? (Esse é um dos métodos cabulosos que eu arrumei para tomar leite, porque eu não tomo e já fui advertida pelo médico várias vezes. Nem leite animal e muito menos o vegetal.)

E não só os produtos alimentícios:

Comprei esse medicamento a base de dipirona monoidratada para usar em momentos de dores de cabeça, mas tinha glicerol (glicerina).  Já reclamei com a empresa. À base de ibuprofeno, o ALIVIUM  também tem glicerina, já o BUSCOFEM não.

Enfim, para você - atípico ou não - cuidado com alguns ingredientes dos produtos chamados DIET/LIGHT. 

Para cozinha, eu recomendo o tomate seco LowCarb da Paty Goes:



Para leitura, eu recomendo:




Alerta: NÃO SOU VEGANA OU VEGETARIANA, mas amo alguns produtos veganos! 

Boa quarentena!

terça-feira, 7 de julho de 2020

Arquivamento do meu processo contra a UFMG


Olá,

O meu processo sobre o direito a uma vaga na universidade pública, neste caso a UFMG, foi arquivado.

As coisas não aconteceram como eu desejava, mas sempre tive uma suspeita sobre aquele excesso de facilidades divulgado pela mídia.


Não há pesquisa presencial para verificar os dados divulgados, somente baseado em questionários online em que não há cobrança para verificar se algo é verdade.

E sobre essa maioria ser de escola pública, há somente verificação da origem da formação do Ensino Médio. Nem para desempate é verificado mais tempo de vivência ou qual tipo de escola pública o concorrente veio. E escolas públicas são as Escolas Municipais, Escolas Estaduais, Escolas “Tiradentes” (Polícia Militar), Colégios Federais de Aplicação, Colégios e Institutos Federais Técnicos, Colégios Militares (Forças Armadas).

A maioria aprovada como escola pública é de Colégios Federais de Aplicação, Colégios e Institutos Federais Técnicos e Colégios Militares (Forças Armadas).

Sobre deficiente é raríssimo ver algo divulgado. Se durante a seleção anual da universidade um deficiente conseguir entrar, é uma super vitória. Geralmente, as vagas são rapidamente repassadas para outras modalidades, como ampla concorrência. 

Mesmo sabendo que a decisão final caberia ao juiz e que talvez não fosse conseguir a vaga, tentei ajudar por meio do processo mostrando as falhas, coisas óbvias que pareciam ser percebidas somente pelos candidatos que agiam de ‘má fé’.

Muitos colegas - de graduação - dos fraudulentos sabiam o que acontecia e preferiram se omitir, já que não haviam, diretamente, sido prejudicados pelo ato deles.

Mas a minha parte – mesmo moral, emocional e financeiramente prejudicada – eu fiz. Se algo vai mudar no sistema (do SISU, UFMG ou outra instituição federal de ensino superior), não depende de mim e nem da minha vontade.

Todas as ações coletivas que pude fazer, eu fiz. Mas por ser 'minoria', acabei indo mais para o individual, mas não esqueci que o bem maior deve ser sempre o alvo. Mas não consigo fazer nada estando tão de 'fora'.

Os dados da reportagem citada acima são da Andifes, uma associação - criada em 1989, período pós ditadura – dos representantes da universidades e colégios federais, que aparentemente fazem de tudo para beneficiar Colégios Militares, CEFETs, COLTECs, IFES e Colégios Federais de Aplicação?

... sem noção... parece que estou brincando de campo minado... clica em um quadradinho e abre aquele tanto de ‘bombinha’...

Já jogou 'campo minado'?

 Tudo de bom!

Carla

terça-feira, 23 de junho de 2020

Meu aluno vai perder o ano?

Olá,

Nesses dias de quarentena, indo ao supermercado, encontrei com uma ex-aluna do Ensino Fundamental. Atualmente, ela pertence ao Ensino Médio - rede estadual, escola pública - e ao me reconhecer e cumprimentar, pude conversar um pouco com a mamãe dela. 

A mãe estava preocupadíssima com os efeitos da quarentena, dias e dias sem escola... eu contei que para o Ensino Fundamental estava do mesmo jeito. Aí ela comparou com as escolas particulares, e já disse que a filha dela ficaria muito atrasada. 

É difícil sentir algo - como uma preocupação dessa mãe - que eu não vivencio do mesmo jeito. Então, eu não consegui responder naquele momento sobre aquele atraso que a filha dela estava sofrendo.

Pude viver algo 'semelhante' quando presenciei greves na Universidade Pública. Às vezes, ficávamos seis meses sem aulas. 

Via muita gente reclamando muito, principalmente pelos 'atrasos' nas formaturas. 

Realmente, a formatura atrasava, mas eu sempre tentava aproveitar esse tempo para fazer outras coisas. Então, esses atrasos nunca viraram motivo para resmungar. Aproveitava para adiantar estágio, monografia, estudos de laboratório, tentar aprender a dirigir, etc. Eu nunca ficava parada.  

Educação não é só mesa, cadeira, sala, quadro, giz,... vai além disso. 

É difícil comparar o que acontecia nas greves com quarentena, pois não havia a proibição de 'sair na rua'. Até para congresso e simpósios eu fui. 

Mas hoje temos amplo acesso a internet, livros e canais de televisão que nos trazem muita informação, cultura e conhecimento. 



Que tal aprender a cozinhar? (adoro a Rita Lobo!) 

Já assistiu programas de reforma na casa?

Está lendo? Fotografando? Filmando? Atuando? Dançando? Cantando? 

E melhorar a sua motricidade fina com colagens, artesanato ou pintura?

Se tiver filhos, já pensou em educação religiosa nesse período? Estudo bíblico? Enfatizar valores positivos?


Não se compare. Cada um tem seu tempo. 

Essas 'aprendizagens não escolares' nos enriquece e nos tornam melhores, e até mais requintados.

--------------------------

Por causa do ENEM, estou vendo tantas publicações de estudantes que - por mesquinharia, pressa... não interessa o motivo - estão ficando tão 'queimados' por entrarem em vagas que não são destinados a eles. Por causa disso, esses são divulgados por prejudicarem muitas pessoas, e são obrigados a pagar uma multa pelo tempo que cometeram a fraude.  

Mais ou menos um ano vida de um bom estudante não será um grande prejuízo. 


Tchau,

Carla

quarta-feira, 10 de junho de 2020

OMS e a pandemia no Brasil

Olá,

Estou boquiaberta com a OMS.

Primeiro foi a lentidão no momento em solicitar aos outros países sobre a pandemia e o fechamento de fronteiras.
Segundo fizeram uma campanha que só máscaras hospitalares tinham eficácia.
Depois, agora a máscara tem que ter, no mínimo, 3 tecidos diferentes de acordo com as instruções deles para completa eficácia.

As universidades brasileiras podiam fazer um protocolo nacional para casos assim, porque a OMS não está ajudando muito não.

Agora, para dar lição de moral nos outros países, estão usando e elogiando a Nova Zelândia.

Quanta cara de pau! É até crueldade comparar a Nova Zelândia com o Brasil, não é?

O Brasil, o foco mundial da pandemia, que nem aqui surgiu. O DNA do coronavírus deve ter sofrido mutação e só infecta latino, em especial, brasileiros. 😕😕😕😕

A China e Rússia não repassam os dados e o Brasil é que ficou queimado na OMS. Eita! 

Montagem de imagens do site Wikipedia
Isso me irrita. Para me acalmar, fico assistindo aos vídeos humorados do TIKTOK. Dei uma pausa nas outras redes sociais, porque tenho ficado ocupada com outras coisas (crochet, costura e leitura) e , no meu trabalho, como a prefeitura jogou a Educação para o escanteio - será por causa das eleições? -, nós professores estamos debatendo uma forma de interagir com alunos e programar aulas online. 

Tchau e, com quarentena ou não, que seus dias sejam muito iluminados!

Carla

quarta-feira, 27 de maio de 2020

sábado, 23 de maio de 2020

E essa quarentena?


Olá,

Estou assistindo muito televisão e tenho observado como as notícias tem mudado:


Na semana que iniciou a quarentena (20 de março), fui ao supermercado de máscara. Por causa da campanha da OMS, só escutei elogios:

- Essa máscara não funciona para nada, joga fora!
- A moça está de mordaça!
- Só ela de máscara no supermercado. Povo faz de tudo para aparecer!
- Aqui não é China, aqui é Brasil!!!!!
- Passou na TV que só aquelas de médico funciona.

Foi constrangedor!

----------------

Para fins de estudo, sempre se usa um ou mais parâmetros (idade, sexo, sintomas, acesso a rede de esgoto, tamanho da população, renda familiar, profissão, etc) para fazer um melhor mapeamento de uma doença e, assim ter um tratamento mais pontual e eficaz.
Mas, na Covid-19, só se fala que é vergonhoso atingir o limite mundial de 20 mil mortos. A gente nem sabe se os dados repassados pelos outros países são verdadeiros. Por causa de mercado, esse povo vive contando mentira e manipulando informações. Tudo Falsiane!

-------------------

Existe um caso de paixão da Globo com a família Bolsonaro.... só dá ele nos telejornais! O que é aquilo? 

------------------

Seja higiênico! Tenha fé: dias melhores virão! E quando vierem continue higiênico!

Tchau!

quinta-feira, 9 de abril de 2020

Perdi o direito a minha vaga

Olá,

Ainda estou "digerindo" a sentença do juiz sobre o meu Mandado de Segurança por causa da vaga que me foi proibida na UFMG (Processo 1016274-39.2019.4.01.3800).

Ainda me sinto injustiçada. Pelo processo tentei mostrar algumas falhas que o ENEM e SISU apresentava e não houve menção alguma a isso.

Eu não sou negra – fala dos especialistas no assunto -.

Nunca me senti tão... diferente.

Agora eu entendo porque muitas pessoas não querem estudar.
Gostaria de continuar meus estudos e até escrever um artigo, mas não posso sem vínculo universitário.

Tentei mostrar que os alunos de colégios federais e militares usufruem de boa infraestrutura e que não seria “certo” deixar a vaga de cotas disponível a eles. Mas não consegui nada:














A última reportagem mostra o ranking de várias escolas e lá também tem a colocação da escola que pude concluir o ensino médio:


Ainda fiz questão de terminar o meu processo no estilo redação ENEM:

Esses colégios gratuitos se diferenciam das escolas estaduais e municipais pela prioridade na qualidade do conteúdo ministrado em sala de aula, quase ausência de atos “como greves e paralisações”, melhores condições de trabalho e remuneração diferenciada para professores, além de rígida disciplina do corpo discente.

Esses recintos já apresentavam alto índice de aprovação em vestibulares antes da aplicação da lei de cotas e criação do Exame Nacional do Ensino Médio. Ou seja, a reserva de vagas serviria somente para privilegiar aqueles que não necessitam da urgência na inclusão social, ato almejado pelo país visto que possibilita diminuir e até erradicar as diferenças socioeconômicas.

Ao concorrer a uma vaga através do SISU, alguns estudantes agem de má fé e inscrevem suas notas em vagas destinadas a inclusão social aumentando o nível de corte e/ou atrapalhando o sistema em si, pois não permitem que os verdadeiros candidatos almejados pela lei sejam alcançados. Após o prazo estabelecido por cada universidade, as vagas de reservas (cotas) são convertidas em vagas de ampla concorrência de forma a garantir o total preenchimento das vagas disponíveis para cada curso anualmente.

Portanto, seria importante um maior cruzamento de informações entre os dados fornecidos na inscrição do ENEM e o site do SISU, permitindo que vagas reservadas sejam visualizadas somente por aqueles a quem a lei objetiva auxiliar. Além disso, alunos que não confirmarem – através do registro acadêmico – ou não comparecerem as verificações presenciais exigidas pelo edital complementar de cada universidade devem ser punidos para erradicar esse comportamento mesquinho e preconceituoso, pois o caráter de um futuro e responsável profissional não deve depender somente de notas elevadas no ENEM, mas também na sua atuação em melhorias sociais desde o seu ingresso no meio acadêmico.

Achei injusto esse "crivo" da banca com a minha presença. Mas tudo bem, aprendi a minha lição. 

Diferente sim. Negra não.

Tchau,

Carla
---------------------

Oi. 
As listas de aprovados e as outras chamadas ficam disponibilizadas na internet para qualquer um conferir. 
Pude coletar as fotos para "minha defesa" no Facebook e Instagram - maioria abertos.
Então, imagino que colegas do mesmo ano também sabiam quais alunos estariam usufruindo dessas cotas. 
Alguns já concluíram o curso e, no caso da Medicina, puderam fazer residência e atuam nas suas profissões. 
Eles obtiveram bolsas de: monitoria, estágio, pesquisas, mestrado, doutorado, publicações de artigos, viagem pelo Ciência Sem Fronteira, residência! Tudo dinheiro público!
E os colegas de curso/ano que sabiam disso e não denunciaram? 

😱😱😱😱😱😱😱😱😱😱😱😱


O que me preocupa não é nem o grito dos corruptos, dos violentos, dos desonestos, dos sem caráter, dos sem ética... O que me preocupa é o silêncio dos bons.  

- Martin Luther King


Quem pode, fica em casa. 
Seja higiênico, não fique cutucando sua máscara, lave-a com água e sabão quando chegar em casa e passe com ferro quente para ajudar a higienizar. 
Lave suas roupas com água e sabão e tente lavar separado roupas íntimas das outras peças. 
E, também, tente lavar separado pano de prato e outros utensílios de cozinha. 
Tampe o vaso sanitário a cada vez que for dar descarga (isso vale para os meninos também).
Tome banho de Sol (vitamina D é importante),
Tenha uma alimentação saudável.
Beba líquidos.

Gente!!! Ore muito para não adoecer nessa quarentena.