quinta-feira, 28 de novembro de 2019

Como erradicar isso?

Somos intolerantes.
...
Tive a oportunidade de visitar uma pessoa que veio me falar de seu filho: jovem, bem sucedido, relaciona bem com os amigos, mas distante...
Ela me mostrou várias fotos em festas, com uma namorada e sem o uso de bebidas ... descartei o autismo...
Mas a namorada não saio da minha cabeça... de áreas distintas e namorando.... ela é de uma hierarquia abaixo... 🤔... Jargão Cristão... pronto! Descobri.
O jargão facilita relacionamento com moças evangélicas.
...
Essa história aconteceu em 2014, no Ceará, mais precisamente em Jericoacoara. O corpo de uma turista italiana foi achado em uma das trilhas da paradisíaca cidade com sinais visíveis de tortura e execução por estrangulamento. Não houve furto ou abuso sexual ou rastro de pegadas ou automóvel.
A principal suspeita era uma colega carioca que parece ter usado todas as drogas durante a estadia no paraíso.
Se ela estava tão doida acho que não daria conta de fazer um serviço tão "perfeito".
Na italiana foram encontrado vestígios de tudo que devia estar incomodando naquele lugar:
... quem fez isso sabia que iria provocar um grande repúdio. 
...
Lembrou um pouco a história da Eliza Samúdio.
...
Com a educação combatemos a intolerância e o machismo, mas e o tráfico?

sábado, 23 de novembro de 2019

Eu sou uma aberração

Olá,

Isso aconteceu faz algum tempo. Mas, como eu não sou das mais espertas, demorei a perceber.

Eu gosto muito de ler e fazer cursos e, trabalhando como professora, fui fazer um curso de Plantas Medicinas na UFLA - Universidade Federal de Lavras.

Eu teria de me afastar da função de professora e, para não prejudicar os colegas e alunos, levei - com antecedência - uma documentação oficial da universidade declarando os dias em que estaria ausente no trabalho.

A direção da escola não cedeu e passou o caso para outro órgão, que por sua vez, também não cedeu ao meu pedido. Como estava tudo pago e eu tinha muita vontade de fazer esse curso, me ausentei. 

Mas com a minha documentação, a direção conseguiu que outra pessoa me substituísse de forma que nem os alunos e a escola ficasse prejudicada... somente eu. 

Fiquei feliz com o curso, aprendi muita coisa na época, fiz amizades... foi bom, mas fiquei no prejuízo financeiro e com o nome na Corregedoria (órgão responsável por fiscalizar os funcionários públicos). 

Passou uns dois meses depois, um outro professor - estudante de graduação da UFMG - também precisou se ausentar por uns dias para uma viagem técnica do curso e conseguiu, facilmente, a liberação por parte da direção e sem a necessidade de uma documentação oficial.

Eu fiquei com aquilo na cabeça. Por que o tratamento havia sido tão diferente? 

E várias vezes, eu percebia que as pessoas me tratavam tão mal. Por que aquilo? 

Até hoje e EUREKA: Eu não tenho jargão cristão. Caramba!

A direção era evangélica e o rapaz também. E eu.... eu... eu.... de repente, me bateu um medo. 

cor escura na pele + fala pouco + .... = 😬😨👽👽👽😱😱😱

Aprendendo mais uma vez que eu é que tenho a obrigação de me adaptar ao outro. 

Tchau,

Carla

quarta-feira, 13 de novembro de 2019

Azul x Vermelho!

Olá,

Desde o impeachment da Dilma Rousseff eu percebo que aconteceu uma forte polarização: direita x esquerda, bons x maus, caneta azul x caneta vermelha (mas no ENEM é preta), etc

E um acaba não aceitando muito o outro. Eu já fui levada pela ignorância dos fatos várias vezes. 

Quando não temos uma visão muito ampla e aprofundada sobre um assunto, temos tendência a generalizar e a colocar a culpa em algo e/ou alguém. Mesmo sendo uma leitora voraz, eu admito que tenho essa falha. E cá entre nós, temos limite, né?!

Nós, brasileiros, trabalhamos tanto... ficamos tão cansados... não damos conta da nossa vida, casa, trabalho, férias... e, aos poucos, tudo vira uma bola de sorvete, ops, neve - é o calor minha gente 🌞🌞🌞🌞🌞!

Por causa do que aconteceu comigo no SISU-UFMG/2019 (fui indeferida pela Comissão de Heteroidentificação e considerada muito branca para a vaga destinadas a negros - pretos e pardos - e deficientes) e, também por influência do meu irmão - estudioso sobre liberalismo, nova ordem mundial, etc - acabo lendo um pouco sobre o assunto mais voltado para a direita. 

Mas veja só um trecho da entrevista sobre a Anita Leocadia Prestes, filha de Olga Benário e Luís Carlos Prestes,:

"O capitalismo leva ao individualismo, então, se não existe uma educação contra isso, que ensine que homens e mulheres devem ser solidários entre si, é meio difícil exigir das pessoas que tomem partido", afirma. Partido, no caso, era ser contra o capitalismo."

A entrevista é do site Uol: Comunismo, o inimigo inventado

Ainda não tive tempo de ler O capital, autoria de Karl Marx, para dar uma boa crítica, mas não acredito que o capitalismo distancie as pessoas... como também não acredito que o comunismo aproxime. 

Solidariedade e outras atitudes consideradas positivas pela sociedade crescem com uma boa educação e a divulgação desses atos. 

Estou lendo o livro "História da Educação" por Cynthia Greive Veiga e estou aprendendo tanta coisa. 

No livro traz um resumo sobre a história da educação em outros países e fiquei encantada com a educação pública na Alemanha, desde 1700 e abobrinhas falava na educação pública para a população alemã... fiquei maravilhada... até eu virar a página e ter mais um parágrafo assim "Quanto à educação para mulheres..." juro que quase chorei... de tristeza 😩😩😩!

Não vou me estender sobre isso, mas a direita culpa a esquerda e a esquerda culpa a direita. E fica esse debate o tempo todo. Afeta a política, economia, taxa de desemprego, etc. E essas lutas e discussões afetaram até o meu trabalho. Às vezes, fica aquela falácia que preciso me esconder em alguma sala vazia. 👂👂

É, estou de greve... de repente, meio ambiente de trabalho ficou nojento! 😖😵

Se você quiser ajudar o pobre: não vote em partidos de bandeira vermelha ou azul, vote em candidatos que apoiam a educação de qualidade para todos. 

Tchau,

Carla
--------------------------------------------------------

Quase esquecendo dos filmes. Não interessa a visão política, nenhuma mulher merece viver o que elas viveram! 

Olga



Milada


terça-feira, 5 de novembro de 2019

Parece que tem futuro!

Oi!

Estive pensando melhor sobre algumas coisas que me ocorreram.

Amanhã estarei paralisando como protesto por uma Educação Pública de Qualidade, por causa do corte de verbas e outras retaliações da prefeitura contra as escolas.

As terceirizações estão acontecendo de forma deficiente e prejudica muito o trabalho e o ambiente. 🤢🤮

Mas o governo Bolsonaro tem me surpreendido. Não sei se os funcionários públicos têm medo dele ou de seus ministros (Moro?), mas as coisas têm funcionado do jeito que a equipe deles tinha planejado. 

Desde a implantação de cotas - para universidade e concursos - no governo Lula, não havia comissão de heteroidentificação (racial) e nem perícia médica... mas no primeiro ano de Bolsonaro o negócio funcionou tão bem. Até eu fui indeferida ( e duas vezes)

Agora o Ministério Público está fiscalizando mais e expulsando os alunos que fraudaram o sistema de cotas. E querem inclusive uma legislação específica para incriminar quem usa de má fé as vagas de cotas. 

Isso foi uma observação! 

Tchau!