sexta-feira, 19 de abril de 2019

O risco dos rótulos

Olá,

Um dia eu citei de forma bem desagradável sobre como é importante ter um rótulo.

Tenho formação como técnica em Química pelo POLIMIG (compensei minha frustração de não ter sido aprovada em um curso público com a particular - sempre achei que era importante ter uma formação técnica... meu pai e maioria dos meus primos são técnicos formados... sempre contra a maré... sem noção... apesar de tudo, valeu a pena!) e esse curso é da área de Exatas. Então, o raciocínio é lógico e o meu foco ficou na área de desenvolver produtos. 

Todo produto precisa de seu rótulo com os ingredientes e, dependendo do caso, método de produção resumido ou detalhado de acordo com as leis. E quem faz isso é um técnico responsável. Não pode ser qualquer um. Só o responsável com o registro ativo em um órgão ou conselho próprio.

Eu não fico por aí aceitando o que os outros falam, porque elas leram algo na internet... esse tipo de coisa eu ignoro. Elas não têm direito de rotular ninguém. Isso é preconceito. 

Infelizmente, episódios desagradáveis podem acontecer com qualquer um. Uma vez, uma pessoa ficou me julgando pela minha letra: "... como a sua letra é um pouco tombada para esse lado, você deve ser uma pessoa ...". Nem lembro o que ela disse, porque não vale a pena escutar gente assim. Inclusive, acho não tinha formação nenhuma na área e pessoas bem intencionadas não usam isso para constranger. 

Foi uma coisa estranha me descobrir autista (Síndrome de Asperger), mas um alívio diante dos sintomas inexplicáveis que eu tinha. Eu já contei do dia da Igreja da Candelária no Rio de Janeiro? Acordei cedo para assistir a uma missa - a Igreja é bonita, vale a pena conhecer e saber sobre o crime que aconteceu ali - e quando estava indo embora um senhor me pediu esmola tocando as minhas mãos... e a sensação era tão áspera... pareciam cacos de vidro... nem pensei direito, entreguei um dinheiro e corri para um bar... fiquei lá até passar aquela sensação... horrível!

Estou contando isso, porque não é fácil lidar com essas "esquisitices". Mas muitos gênios - pessoas que trouxeram um bem maior para a humanidade - exibem sintomas do autismo - exemplos: Albert Einstein, Isaac Newton ou Michelangelo - e muitas pessoas que almejam serem comparadas a eles imitam esses comportamentos. 

É difícil de imaginar que tenha gente que queira ser reconhecido com uma síndrome em que a maioria dos portadores nem são tão inteligentes assim. 

Como na internet tem sites que divulgam as características mais comuns encontradas em pessoas com Altas Habilidades/Superdotação, muitos por se acharem inteligentes ao serem aprovados em concursos concorridos como o ENEM ficam imitando isso... é horrível...:
Informações sobre características comuns em
Altas Habilidades/Superdotação do site APAHSD

Por causa das características do número 1 ao 4, eu já vi cada falta de respeito sendo cometida... chega a ser nojento. As pessoas se tornam insuportáveis. Por causa do autismo, acredito que só tenho a característica 10 em comum.

Eu aprendi assistindo os telejornais - geralmente com William Bonner e Fátima Bernardes - a importância de mexer as mãos quando se comunica. Antes não mexia nada. Não aguentava mais minha família me advertindo que não tinha expressão ou comprando livros "como se expressar melhor" ou "amando uns aos outros" ou "comunique de forma fácil" ou "xô, timidez!". Às vezes, eu erro muito e fica cômico! 💁👌👍✌👈👉👇👆👎👏

É muito importante ser você e se aprimorar para se tornar cada dia melhor!

Tudo de bom,

Carla

Nenhum comentário:

Postar um comentário