sexta-feira, 24 de agosto de 2018

Oficina de Siririca na USP

Olá,


Dependendo da Universidade Pública, há um grande espaço com plantas, prédios e até animais. Acredito que a maioria deve ter uma prefeitura para administrar um lugar grande e repleto de atividades e funcionários. 

Mas aquele espaço não fica restrito para o funcionamento de atividades escolares superiores. Podem acontecer palestras, cursos e reuniões, desde que devidamente avisados aos responsáveis pelo local. 

Existem diversas reuniões e palestras de disciplinas superiores e a maioria tem nomes comuns que servem de resumo para o seu conteúdo. Mas, talvez, para apresentar algo diferente em um horário de intervalo e descanso, alguém apostasse em um nome mais "chamativo" para o encontro.

Acredito que assim nasceu a ideia do "Oficina de Siririca" para mulheres e homens trans. O local usado foi o campus da USP, mas não foi financiado por dinheiro público. 


Eu admito que sou um pouco lenta, meu entendimento de expressões faciais, olhares e gírias nunca foi uma maravilha... argh... mas eu sei o que é siririca e agora aprendi mais um termo: homens cis

Siririca é uma gíria para masturbação feminina. Eu não sei outro apelido para isso. Mas para a versão masculina tem muitos nomes. Em roda feminina, nunca presenciei amigas conversando sobre isso. Nunca mesmo. Nem quando bêbadas falamos sobre isso. É quase segredo. A nossa parte íntima é tão depreciada que serve de xingamos por aí. 

E muitas têm namorados, porque a sociedade machista exige mais presença masculina que estudo/trabalho/bons modos e, mesmo assim, não se fala de orgasmo feminino ou respeito. Os comentários são sempre sobre a presença ou ausência de homem/sexo. Uma mulher é considerada mais respeitável quando está acompanhada e com sexo presente - saudável ou não - em uma sociedade machista.

Eu achei engraçado como a palestra deu tanta polêmica. Tem até um homem vestido de vagina no Youtube. Ficou engraçado, foi detalhista, estava de barba. Podiam ter usado ele como modelo feminino para ser tocado a vontade. 😈🐣🙈




Desculpa. Escrevi e esqueci de concluir. Nós sofremos tanto preconceito que quando nos liberamos um pouco mais, gostamos de ficar só entre a gente. Coisas femininas ficam ligadas a frescuras, futilidades e até vulgaridades. Então, cultivamos clube e Luluzinhas para não sermos ofendidas, humilhadas e constrangidas.

Tchau,

Carla

Nenhum comentário:

Postar um comentário