segunda-feira, 30 de julho de 2018

Quem não gostaria de ser bela? - parte 2

Olá,

Eu já contei que já fiz e faço procedimentos estéticos. 
Nossa! Fico imaginando se eu ganhasse na Mega Sena quantas procedimentos desse gênero poderia fazer. 

Ainda não aderi aos tratamentos "invasivos" - cirurgias, implantes, lipoaspiração ou aplicação de Botox - porque são caros. Desses métodos, o Botox eu tenho muita vontade... na testa. 

Mas fiquei pensando com tantos clínicas de estética e consultórios particulares que até parcelam no cartão de crédito esses procedimentos, porque algumas pessoas insistem em pagar à vista e em lugares "estranhos"?

Um clínica com médico responsável e regularizada, pode liberar o pagamento no cartão de crédito com bandeiras famosas: Visa, Mastercard ou American Express. E para ter direito a essas bandeiras em um cartão, o cliente precisa autorizar e confirmar dados para os Bancos, além de ter uma conta corrente e/ou poupança com eles. 

Se você tem uma conta em algum Banco, deverá comprovar a origem do dinheiro que aparece na sua conta. O problema é que nem todos conseguem o seu dinheiro de forma legalizada. A maioria das vezes, a origem ilícita dessa renda pode gerar até prisão.

Eu só acho que estão fazendo muito escândalo com o que foi "ilegal" e não mostram de forma mais visível o que realmente está gerando esse problema "estético".

Não achei nenhum vídeo falando sobre a origem ilegal desse dinheiro usando em tratamentos estéticos clandestinos, mas a entrevista da Andressa Urach dá "uma noção":


Tchau,

Carla

Nenhum comentário:

Postar um comentário