terça-feira, 19 de junho de 2018

A arte no dia a dia

Olá,

Eu gosto muito de Arte. Mas não sei se sou artista. Às vezes, eu fico pintando o sete 🎨. 

Corte da folha. Fui eu que
cortei e pintei (corante).
Quando posso, vou a exposições. No imaginário popular, ficamos com a impressão que Arte é aquilo que deve estar no Museu: imóvel e intocável. 

Mas a Arte pode estar presente em várias coisas do dia a dia. 

Durante um período, fiz estágio na área de Anatomia Vegetal. E sabe o que mais me encantava lá? A Arte da histologia vegetal e os seus corantes. Como não tinha muita experiência, às vezes, meu cortes não ficavam muito bons. Mas o cortes vegetais do povo do doutorado: glamour! 

Eu tenho noção das minhas maluquices. Aprendi a não ser tão sincera e honesta. Então, quando alguém me perguntava sobre o estágio e se eu estava gostando, sempre dizia em tom sério que: "estava aprofundando meus conhecimentos na botânica com a Dr. Renata". 🌳🎓

Estava assistindo a aula de História sobre Indepedência dos Estados Unidos da América, e sabe como é? História, Línguas e Arte se fundem o tempo todo. O professor recomendou que os alunos assistissem o videoclipe: "This is America" do Childish Gamboni (Ainda não cheguei na guerra do cecezão 😵). Eu gostei, mas ficou melhor com as explicações que consegui depois. 


As explicações que mais gostei foram:

1- Carina Fragoso - Ela traduziu (muita gíria) e trouxe alguns elementos históricos. 


2- Dossiê Felipe - também traz elementos históricos. 


"This is America" me lembrou o videoclipe do Rappa: "Minha Alma". Existe videoclipe e existe videoclipe Arte/Realidade/História... sei lá... mescla tudo e com alta qualidade. Tem que assisti e ter noção do contexto para entender.

A única coisa que não concordei por completo das duas explicações acima foram quanto ao homem do violão. Quando ele aparece, além de lembrar o pai do rapaz que foi assassinado, ao começar a tocar, ele me lembrou a lenda do Robert Johnson que foi um cantor e guitarrista de Blues. Diziam que ele fez pacto com o diabo na encruzilhada das rodovias 61 e 49 em ClarksdaleMississippi. Ninguém sabe a data do nascimento ou o motivo da morte, porque não havia médicos para registro correto quando era, principalmente, negro. Mas sabe-se que o "coisa ruim" lançou a "Maldição dos 27 anos" 👿 para cantores famosos e o Robert talvez tenha sido o primeiro da lista. Acredite se quiser. 

Eu sou fã de Blues? Não! O Robert Johnson aparece em um dos episódios do seriado americano Supernatural, que eu assisti faz muito tempo. 

Quando o corpo do "cara do violão" é arrastado, eu lembrei de outro episódio: em um bairro que trabalhei, um adolescente foi baleado na frente da escola. Os policiais quando chegaram só arrastaram e jogaram ele no camburão. Correram para o hospital. A diretora quis acompanhá-los. A ambulância não apareceu. Ele sobreviveu, mas ficou na cadeira de rodas e teve de mudar do local. Os professores ficaram boquiabertos por 3 motivos: a ambulância não aparecer, o arrastamento e o jogar dentro do carro. 😱

Na licenciatura tive uma disciplina voltada para psicologia e o professor recomendou a leitura de um livro. Eu, mas não lembro o nome do livro. Nele tinha um capítulo que apresentava uma pesquisa sobre racismo: eles contaram uma história de assalto no metrô  (um senhor negro foi abordado por um jovem de pele clara, usando casaco e capuz, portava uma arma e roubou o dinheiro. Mas a vítima resistiu e foi baleado, falecendo logo em seguida). Depois os pesquisadores perguntavam para os entrevistados quem era o assassino. Muitos alegaram que o criminoso era um negro. Logo, no mundo dos brancos (o local do videoclipe é todo branco) o negro sempre se destaca de forma negativa, mesmo que não tenha cometido erros.

Interpretação é algo particular. Para você saber um pouco mais de obras artísticas, pode acompanhar o canal Vivieuvi da youtuber Vivian Villanova sobre Arte, Cultura e feminismo

Desejo muita Arte na sua vida! E  aprendam: Arte não é só quadros ou sobre amor!

Tchau,

Carla 

--------------------------------------
Vejam a paródia do Galo Frito. Bobo demais:




Nenhum comentário:

Postar um comentário