sábado, 12 de maio de 2018

Sobre as eleições 2018

Olá,

Eu vivo ansiosa. Tem muitas coisas acontecendo e ainda tem o ENEM 2018

Eu não gosto tanto de política quanto deveria. Sempre achei o mundo injusto e aceitava muitas explicações que me davam. 

Não gosto da direita, da esquerda e nem do centro. Eu não entendo muito essas denominações. Todos esses "lados" abominam a monarquia, mas tem uns comportamentos monárquicos meio estranhos. Observe só: 

A China tinha o Mao Tse Tung, que só não usou coroa. Ele é idolatrado até hoje. 
A Rússia teve o Stálin que dizem as más línguas mandava sumir com quem ele quisesse. 
O Leonardo Moreira e seu pai Edmar Moreira, da super direita PSDB, tem um castelo em Minas Gerais. 

Eles são ou foram reizinhos! 👑🏰👸🤴

Ás vezes, eu acho as pessoas meio estranhas. 

A Manuela D'Ávila, filha de uma juíza e um engenheiro, deve ter estudado em boas escolas particulares, mas ocupou, por um tempo, uma vaga na Universidade Pública. Depois se formou em Jornalismo pela PUC. Mas ela é da esquerda. Ela abandonou o curso? Pediu transferência? Engravidou na faculdade? Fumou maconha demais? Trabalhava? Se decepcionou com o curso? 

O Eduardo Bolsonaro, que de acordo com o seu pai - o Jair Bolsonaro - é muito bem criado, estudou em escolas cristãs particulares, formou na Universidade Pública (Direito pela UFRJ) e é membro da Polícia Federal, órgão público. 

Ela 👧- universidade privada - comunista. 
Ele 👦- universidade pública - extrema direita cristã. 

São lógicas ainda difíceis para a minha cabeça. 💫

---------------------

O meu voto é secreto. As pessoas não ficam sabendo em quem eu votei. Eu sempre fico mentindo. 
Mas voto impresso daria mais segurança para eu saber em quem eu votei. Mas me deixaria vulnerável a uma possível ameaça. Complicado. Imagina no interior, onde ainda existe muito coronelismo? 🙈🙉🙊 

---------------------

Olhem essa reportagem da Carta Capital (Porque não queremos que os ricos paguem mensalidades):

Explicação: é uma crítica ao Banco Mundial. O Banco alegou que o Brasil poderia diminuir a crise econômica pedindo doações ou pagamento para alunos de alta renda. 

Trechos da reportagem:

1. "Porque o discurso da cobrança de mensalidades nada mais é do que uma camuflagem do projeto de privatização das universidades públicas, que enriquecerá alguns e garantirá a exclusividade do acesso ao ensino superior aos grupos privilegiados. É um discurso que se junta sempre com a ideia, falsa, de que só os ricos vão para as universidades públicas e que, portanto, haveria uma grande injustiça em sua gratuidade.

Pesquisa divulgada no ano passado pela Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (ANDIFES) mostrou que dois terços do quadro de alunos têm origem em famílias com renda média de até 1,5 salário mínimo. Quase 50% dos estudantes se autodeclararam pretos e pardos, 52% são mulheres, 60% vêm de escolas públicas, 35% trabalham, 53% utilizam transporte coletivo para frequentar as aulas."

Opinião: O ingresso, para uma pessoa que concluiu o ensino médio em escola pública que não sofre privações  fenotípicas - preconceitos (negro, pardo, indígena, autista, deficiente físico e mental) pela Universidade Pública, pode acontecer por cotas para escola pública ou ampla concorrência. 

Só porque ela fez o Ensino Médio em escola pública, isso inclui colégios federais e militares que possuem profissionais com mestrado e doutorado e melhor infraestrutura, não significa que ela seja oriunda do ensino fundamental público (municipal e estadual). 

Então a pergunta seria: ANDIFES! Poderia especificar mais essas "escolas públicas" ?

3. "Porque o objetivo da universidade pública não é fornecer diplomas, construir carreiras ou garantir posições sociais vantajosas, mas formar os profissionais necessários para o desenvolvimento econômico e social do país. Isso implica em decisões sobre criação de cursos e currículos, sobre número de vagas e cotas."

Opinião: Não fui isso que vivenciei na universidade. Se realmente o interesse maior fosse o "desenvolvimento econômico e social do país" não haveria necessidade de concursos públicos de ampla concorrência tanto para graduados em públicos quanto particulares. Outro detalhe: seria obrigatório o serviço público para graduados em universidade públicas, por um tempo, para contribuir para a nação que investiu no seu estudo. 

6. "Porque a universidade pública tem, sim, que ser paga pelos ricos, mas por meio dos impostos."

Opinião: E rico paga imposto no Brasil? Super ricos passam férias no Brasil? 

7. "Porque precisamos, verdadeiramente, de médicos, matemáticos, psicólogos, antropólogos, engenheiros, fonoaudiólogos vindos de diferentes estratos sociais, porque eles trazem outras perspectivas para a pesquisa, o ensino, a produção e a atividade profissional."

Opinião: Médicos? Depois que fui procurar médico especialista em autismo e só achei um formado na Universidade Pública e cobrando mais de R$1000,00 pela consulta, eu desisti!

Resumindo: Ainda estou sem entender nada. Mas recomendo que vocês orem muito antes de votar em alguém.

Tchau,

Carla

Nenhum comentário:

Postar um comentário