quarta-feira, 16 de maio de 2018

Sem meu rótulo

Olá,

Recentemente, eu fui procurar informações sobre as coisas que eu sinto. 

Sempre me senti um peixe fora d'água. Sempre fazendo e pensando coisas diferentes. E sempre calada. Eu tenho opinião sobre as coisas, mas não gasto tanta saliva.😜

Essa parte eu sinto um pouco de vergonha: às vezes o toque me incomoda muito. Eu sinto muito. E tudo parece estar no volume máximo. E as pessoas parecem tão agressivas. 

As outras coisas eu consigo lidar, mas o toque é algo estranho. Por que as pessoas tem que conversar tão próximas? Um dia um colega de trabalho foi me cumprimentar e eu tive a impressão que ele iria colocar a mão no meu rosto ... eu me afastei na hora. Ele ficou sem graça. Era cumprimento, mas não consegui. Eu fiquei com vergonha. 

Às vezes, eu tolero o toque, mas fico com aquilo na minha cabeça durante dias. É horrível.

Para aguentar ficar nas festas, eu bebia muito álcool 🍺. Eu e minhas amigas ficávamos bêbadas. Era bom ficar no meio delas. Era todo mundo doido. Sinto muitas saudades. Assim, eu aguentava as festas, porque os sons eram muito altos e via os rapazes universitários bonitos... que hoje devem estar carecas. 😈 A mulherada também está careca... com ajuda do laser. 🐸

Como a ansiedade piorou, fui procurando informações na internet e li um pouco sobre Asperger. Lembra um pouco o que sentia, mas sem as estereotipias. 

Assim que pude, retornei a terapia e a psicóloga me falou sobre Altas Habilidades/Superdotação. E ela me falou: "parece autismo não é? Mas você não é autista. Tem muita empatia e é altruísta."

Vou a psiquiatria para tomar medicamentos que controlam a ansiedade. Comecei com cloridrato de paroxetina, mas tive três efeitos colaterais: aumentou o apetite, fiquei com dificuldade de acordar de manhã e não conseguia parar de mexer as pernas. 

Comentei com ela sobre os efeitos colaterais da paroxetina e sobre Altas Habilidades/Superdotação. E ela ficou mencionando casos de Superdotação em Aspergers, e não em normais. Além disso, decidiu mudar a medicação para cloridrato de fluoxetina. Não aguentei uma semana, a medicação me destruiu: corpo cansado, sintomas de forte sinusite, dores no estômago e dores medonhas de cabeça. Ave! 

Eu entrei em contato novamente com a psicóloga e contei o que aconteceu. Ela só faltou ter um ataque cardíaco. Ela falou que os médicos que não estão se atualizando nas suas profissões. 

Na internet achei o site Lagarta Vira Pupa: "Na minha experiência profissional como médica, a maioria das crianças AH são, também, autistas leves/aspergers." Pronto! Fiquei mais preocupada ainda.

Agora nem a médica e psicóloga estão se comunicando comigo. Surtei as duas. 😁

Na internet, mesmo em inglês, tem um monte de informação. Mas alegaram que o humor é a principal diferença entre Aspergers e Superdotados

Agora, eu não sei o meu rótulo. Mas eu sou a Carla 👽, sexo feminino ... sem rótulo. Afff!

Quanto a homens... na verdade eu estou solteira, mas só consigo pensar em uma coisa: eu quero me curar desse troço. 😭  

Como são classificações novas, na internet tem informações mais sobre crianças superdotadas, principalmente prodígios (que são muitos raros). Achei esse vídeo, mas não sei se realmente a criança é um prodígio ou um ator mirim (de qualquer forma ele é incrível para a idade):


O filme O Livro de Henry (sobre abandono e abuso infantil, importância da família e solidariedade) também é legal e mostra como um prodígio parece adulto, mas não é. Ainda é criança e precisa de muita ajuda.  


Vou tentar entrar na Mensa Brasil para ver se ajuda. Mas tudo depende se eu passar no teste deles. 😟

Tchau,

Carla

Nenhum comentário:

Postar um comentário