domingo, 8 de abril de 2018

Preconceito e o risco de generalizações

Olá,

Hoje estou morta de cansaço. Fiz prova e o concurso atrasou mais de uma hora. Aff!

Em vários concursos, incluindo vestibulares, já caíram o texto do Terrorismo Lógico do Antônio Prata. O texto foi publicado no site Folha quando teve o atentado ao polêmico Charlie Hebdo. 

Ajuda a refletir um pouco sobre o risco das generalizações que contribuem para o preconceito. É algo que estamos vivenciando hoje. Eu tenho tendência a generalizações e preconceitos. Mas tento combater o máximo possível maus pensamentos. 

Espero que gostem!

Obs: Para quem não lembra o caso, abaixo disponho dois vídeos da época, sendo um das charges polêmicas:





TERRORISMO LÓGICO
  
O terrorismo é duplamente obscurantista: primeiro no atentado, depois nas reações que desencadeia.

Said e Chérif Koauchi eram descendentes de imigrantes. Said e Chérif Koauchi eram os suspeitos do ataque ao jornal Charlie Hebdo. Se não houvesse imigrantes na França, não teria havido ataque ao Charlie Hebdo.

Said e Chérif Koauchi, suspeitos do ataque ao jornal Charlie Hebdo, eram filhos de argelinos. Zinédine Zidane é filho de argelinos. Zinédine Zidane é terrorista.

Zinédine Zidane é filho de argelinos. Said e Chérif Koauchi, suspeitos do ataque ao jornal Charlie Hebdo, eram filhos de argelinos. Said e Chérif Koauchi sabiam jogar futebol.

Chérif Koauchi foi entregador de pizza. Chérif Koauchi era um dos suspeitos do ataque ao jornal Charlie Hebdo. Se franceses comessem só comida francesa, não financiariam o terrorismo.

Muçulmanos são uma minoria, na França. Membros de uma minoria são suspeitos do ataque terrorista. Olha aí no que dá defender minoria...

A esquerda francesa defende minorias. Membros de uma minoria são suspeitos pelo ataque terrorista. A esquerda francesa é culpada pelo ataque.

A extrema direita francesa demoniza os imigrantes. O ataque terrorista fortalece a extrema direita francesa. A extrema direita francesa está por trás do ataque terrorista.

Marine Le Pen é a líder da extrema direita francesa. “Le Pen” é “O Caneta”, se tomarmos o artigo em francês e o substantivo em inglês. Eis aí uma demonstração de apoio da extrema direita francesa à liberdade de expressão – e aos erros de concordância nominal.

(Esse último parágrafo não fez muito sentido. Os filmes do David Lynch não fazem muito sentido. Esse último parágrafo é um filme do David Lynch.)

O Charlie Hebdo zoava Maomé. Eu zoo negão, zoo as bichinhas, zoo gorda, zoo geral! “Je suis Charlie!”

Humoristas brasileiros fazem piada racista e as pessoas os criticam. Charlie Hebdo fez piada com religião e terroristas o atacaram. Criticar piadas racistas é terrorismo.

Numa democracia é desejável que as pessoas sejam livres para se expressar. Algumas dessas expressões podem ofender pessoas ou grupos. É desejável que pessoas ou grupos sejam ofendidos.

O Charlie Hebdo foi atacado por terroristas. A editora Abril foi pichada por meia dúzia de jacus. A Editora Abril é Charlie.

Os terroristas que atacaram o jornal Charlie Hebdo usavam gorros pretos. Black Blocs usam gorros pretos. Black Blocks são terroristas.

Os terroristas que atacaram o jornal Charlie Hebdo usavam gorros pretos. Drones não usam gorros pretos. Ataques com drones não são terrorismo.

O ataque terrorista contra o Charlie Hebdo foi no dia 7/1. A derrota brasileira para a Alemanha foi por 7 a 1. O 7 e o 1 devem ser imediatamente presos e submetidos a “técnicas reforçadas de interrogatório”, tais como simulação de afogamento, privação de sono e alimentação via retal. Por via das dúvidas, o 6 e o 8 e o 0 e o 2, também.

Todo abacate é verde. O Incrível Hulk é verde. O incrível Hulk é um abacate.

Nenhum comentário:

Postar um comentário