sexta-feira, 26 de janeiro de 2018

Cotas e ENEM 2017

Olá,

Poucos pessoas sabem porque eu estava sumida. Eu não queria contar, para evitar estresse. Não gosto de gente intrometendo na minha vida. Estava me dedicando muito para as provas do ENEM. 

Como eu trabalho e vivo do meu dinheiro, preciso economizar. Então, não fiz cursinho pré-ENEM ou Vestibular, estudei em casa sozinha. Comprei os livros de cada disciplina e estudei cada um deles. Como eu não tive aulas de Filosofia, Sociologia e Arte, achei tudo muito difícil.

Só não me dediquei muito em Língua Portuguesa e Inglesa. Eu não sei como estudar essas disciplinas.

Sempre fui muito ansiosa. E a ansiedade sempre me atrapalhou. Mas tinha medo de ir ao médico, muito receio de vício em medicamento tarja preta. Um dia no trânsito, eu não conseguia dirigir mais de tanta ansiedade, achei que não podia continuar mais assim e fui procurar ajuda. 

Estou usando um medicamento tarja vermelha (cloridrato de paroxetina). Ainda estou usando dosagem infantil, pois tive reação, mas aos poucos a médica está aumentando a dosagem. Só uso medicamento genérico da Medley, pois é o mais confiável do mercado, em compensação é caro. 

Minha alimentação é sem açúcar, e por ter um ingrediente a menos, não significa que seja mais barato. Pão tem açúcar, biscoito tem açúcar...

Juntando tudo: custo de moradia + psiquiatra + psicólogo + medicamento + internet = muito caro. Não dá para pensar em um curso particular.

Eu preciso de acompanhamento por causa da minha ansiedade. Quando eu estava na terceira séria (hoje quarto ano), eu tive uma aula de Ciências com uma estagiária de Pedagogia. Ela explicou sobre o efeito estufa e mudanças climáticas. Aquela aula me deixou muito preocupada com os rumos da humanidade. Dois anos depois, decidi consertar o mundo. Mandei um carta para o CONEMA (Conselha Estadual do Meio Ambiente) exigindo mudanças.  E eles me responderam. 


Às vezes, não assisto televisão para evitar esse tipo de preocupação. 


Sou portadora de Altas Habilidades (Superdotação), tenho a pele negra (morena) e estudei o ensino médio em escola pública (estadual). 

Eu nunca tive indicação ou algum tipo de privilégio para conseguir emprego ou algo do gênero. Lutamos pelas cotas raciais e sociais em Universidades Públicas por causa disso. Somos discriminados o tempo todo.

As cotas priorizam: deficientes físicos e mentais, portadores de Transtorno Globais de Desenvolvimento (Asperger e outros), raça e origem na educação pública.

Algumas universidades públicas tem programas de acompanhamento para deficientes, portadores de Transtorno Global de Desenvolvimento e Altas Habilidades (Superdotação), para evitar abandono. Se eu ficar rica igual ao Mark Zuckerberg, será que abandonaria a escola igual a ele? 😀 

No primeiro dia de prova, eu estava tremendo. No segundo dia, estava mais calma, mas achei pouco tempo para questões (muito leitura).

Essas foram as minhas notas (média 709,88), não deu para o curso que eu desejo, mas esse ano tem mais ENEM: Foco + Fé + Força na peruca!


As cotas vieram para ajudar e não para discriminar! As vagas que não são preenchidas são usadas, não ficam vagas!

Muito obrigada Lula, Dilma, Mensa, Claudia Hakim e outros que estão lutando por nós!

Tudo de bom a todos,

Carla

Nenhum comentário:

Postar um comentário