domingo, 25 de junho de 2017

Florais

Olá,

Às vezes, eu fico bem desanimada. Desde então me ensinaram a tomar floral.

As essências florais são extratos líquidos naturais e altamente diluídos de flores, plantas e arbustos, ao qual se agrega brandy ou álcool natural como conservante.

O resultado é uma solução (que contém álcool diluído em água) que no uso terápico tem como objetivo equilibrar as emoções do paciente.

Os florais foram criados pelo médico inglês Edward Bach. Os florais criados por ele são os mais famosos do mundo até hoje. 

Tem várias marcas no mercado. 





Gosto desse, principalmente da versão para dormir. Mas admito que prefiro o florais artesanais.  






Manipulo na farmácia para diminuir o cansaço por causa da minha rotina. Os florais são fáceis de manipular em farmácia homeopáticas. E ficam mais baratos também. Os florais de Minas são nacionais, mais baratos e tão bons quanto os de Bach. 

O floral que tenho usado é uma mistura para auxiliar contra o cansaço físico e mental: buquê de 9 flores, é um dos ingredientes.  



3) Bioflorais
Presentes para o Luke! Na verdade, o Luke só gosta
da bolinha verde e de fazer buracos na grama.

Eu já usei. Agora eles lançaram com sabor baunilha. Parece adocicado, mas não é. É só um aroma. Fica mais fácil para ser consumido por crianças e animais de estimação (pets). O Luke, cachorro filhote do meu irmão, está usando contra a hiperatividade.





4) Florais Filhos do Sol


Eu vi num mercado onde compro produtos, como pasta de amendoim. Nunca experimentei. Muita gente recomenda.







5) Florais Aleixo




Pensei em comprar, mas tem mel na formulação. Não sei se mudaram a formulação. 




6) Florais Saint Germain

Nunca experimentei.









7) Florais Polinize (Serra Gaúcha)




Nunca experimentei. Mas já escutei recomendações.







8) Florais da Deusa


Nunca experimentei. 









9) Florais Healing





Nunca experimentei.












Nunca experimentei.







Caso venha a experimentar algum florais que citei que "nunca experimentei", eu atualizo.

O Floral parece ser uma coisa muito simples. Não precisa de receita médica. Não dá efeito colateral. Isso era o que eu imaginava até tomar o floral Nutrissono da Fisioquantic. O floral acabou comigo. 

Eu tenho a pré diabetes. Então, eu não uso açúcar e evito a noite alimentos que hiperglicêmico. Meu jantar são frutas. 

Como eu vivo estressada, eu uso floral antes de dormir. E usei esse floral. Passei muito mal. Acho que até afetou o ciclo da minha menstruação. E quando adoeço minha auto estima vai para bem longe... tomara que ela tenha ido para um lugar bem bonito... praia paradisíaca... 😛

Então, vamos ver o floral:


Ingredientes: água purificada; glicerina; essências vibracionais florais: Impatiens walleriana Hook f.; Perlagonium hortorum; Ornithogalum umbellatum.


Alguns medicamentos, fitoterápicos e florais usam alguns ingredientes (flavorizantes, aromatizantes) para conquistar o paladar do cliente. É o caso deste floral. Ele usa a glicerina (não confundir com glicose) para adoçar. Fica uma delícia. 

O problema é que não é somente o açúcar que fornece energia ao corpo. Os alimentos fornecem energia. O açúcar só fornece de forma mais rápida e em grande quantidade. A glicerina também fornece. Na verdade, a glicerina é mais energética que o açúcar ainda.  

Eu entrei em contato com a empresa. Eles me responderam. Para muitos profissionais da saúde a diabetes e pré diabetes se resumem ao NÃO POSSO CONSUMIR AÇÚCAR (BRANCO, MASCAVO, DEMERARA, LIGHT). Então, alimentos sem açúcar são para diabéticos... afff...  as coisas não funcionam desse jeito:


PREZADA CARLA, 

Vimos através deste informar que faz parte da Composição dos produtos Frequenciais Florais a glicerina ou glicerol, um composto orgânico extraído de fontes naturais vegetais, que apresenta sabor adocicado, apesar de não ser um açúcar. É uma substância atóxica, segura para consumo humano e muito utilizada na indústria farmacêutica, alimentícia, entre outras. Embora tenha sabor doce, a glicerina é metabolizada de forma diferente do que o açúcar e não eleva os níveis de açúcar no sangue ou glicemia, podendo ser utilizada inclusive por pacientes diabéticos. Dessa forma, confirmamos não haver nenhum tipo de açúcar na Composição dos Frequenciais Florais. Sem mais, agradecemos e colocamo-nos à disposição para maiores esclarecimentos, se necessário. 


Atenciosamente, 

Fisioquântic

O açúcar da cana do açúcar fornece 3831 kcal/kg de energia metabolizável. Leia aqui.
Já a glicerina fornece 4.320kcal/kg Leia aqui. Os lipídios também fornecem muita energia metabolizável, mas não são facilmente convertidos em glicose. A energia metabolizável do óleo de coco é de aproximadamente 8262 kcal/kg. Leia mais.

De acordo com este trabalho: "... O glicerol possui uma molécula pura, não esterificada a ácidos graxos, que é facilmente absorvida por difusão, devido ao seu baixo peso molecular. Com isso, pode ser considerada uma fonte adequada de energia. Quando absorvido, o glicerol pode ser convertido em glicose via gliconeogênese, ou oxidado, para a produção de energia, via glicólise e ciclo de Krebs...". Leia mais.

Esse daqui é outro estudo, mas com ruminantes (cabrito) que mostra que a glicerina absorvida é, primordialmente, usada na produção de glicose no fígado. Leia mais. Tem informações sobre a gliconeogênese aqui.

Li também sobre a relação do uso de glicerina em plantas. Tentei fazer em casa, cultivando feijão no algodão. Mas nem o feijão cultivado somente na água germinou (era o controle). Lembrei da Alice (veja o vídeo) e fiquei com medo de comer feijão. Decidi comer com os olhos fechados, assim não fico triste: "O que os olhos não veem, o coração não sente." 😆




Então, tome cuidado com alguns ingredientes em medicamentos e outros produtos, às vezes eles afetam o seu bem estar provocando insônia e outros males e você nem percebe.

Aliás, se alguém conhecer algum floral que ajude a ser mais detalhista... eu preciso. Comprei uma blusa com buraco e nem vi. Não é a primeira vez que faço isso. Eu não sei o que foi pior: a fila para comprar ou a fila para trocar. 

Tchau,

Carla