quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Preparando a viagem de férias

Olá,

Nas férias eu gosto de viajar e fotografar.

Essa foto eu tirei em Itacaré, Bahia.
Viajar é uma oportunidade de descanso, de conhecer novos lugares e de fazer amizades.

Em uma das viagens que fiz (eu fui para Itacaré/Bahia) eu percebi que um dos rapazes ficou falando muitas coisas más dos russos e das moças israelenses. Eu li uma reportagem em que uma modelo alegava não ter amizade com as moças russas por elas serem frias e secas.

Eu fiquei pensando que talvez nós não tenhamos muita noção "de nós mesmos".

Talvez não tenhamos a percepção que somos muito exóticos ao olhar do outro. Dependendo da aparência e do jeito, é muito exótico até para mim (eu sou 100% brasileira).

Aquilo que é exótico e diferente demais dá até medo. 

Às vezes, eu comparo com algumas coisas minhas. Lembro de quando estudava História sempre falava muito da importância do Rio Nilo que fica na África. O material didático era voltado muito para acontecimentos do exterior. Agora, década de 2000, melhorou e os materiais didáticos contam mais a história da cidade e o estado onde a criança vive. 

Pode ser que para alguns povos nós somos um pouco medievais, é como se estivessemos 50 anos atrás...

É estranho pensar que um país que a maioria da população é de baixa renda, tenha o ensino universitário público que atende classe média e alta. É como se tivesse tirando do pobre para dar ao rico. "Vivendo a França da época de Maria Antonieta?" 

Eu percebo que muitos brasileiros vão para outros países para estudar (até para países como a Rússia), mas não vemos o processo contrário.

É muito estranho conviver com pessoas que não sabem a sua própria história e não tem como defendê-la. 

Esse é um vídeo que consegui no Youtube. Ajuda a combater um pouco do preconceito:


Pessoas grossas e mal educadas tem em qualquer lugar. Às vezes, a pessoa nem percebe que é muito grosseira. Inclusive nós.

Tchau,

Carla