quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

Para momentos difíceis

Olá,

Tem dias que não estou muito legal. 

Trabalho, casa, estudos, rotina, família detonam muito. Ainda temos que lidar com as notícias e despedidas forçadas, como aconteceu com o Chapecoense (#forçachape) e o time de ginástica da Rússia.

Às vezes, eu me sinto sem energia, esgotada. Vontade de ficar em casa escondida. Algumas vezes, essa sensação está relacionado ao meu ciclo menstrual, outras vezes a algo negativo que me aconteceu ou é a vida mesmo.

1. Para começar o dia, eu sempre agradeço por mais este dia. Seja ele ruim ou não, foi me dado mais uma chance e a vida é uma roda da fortuna, as coisas podem mudar. Sempre mudam.

2. Eu uso florais. Eles atuam no psique e ajudam a passar por momentos difícieis. Eu recomendo os florais de Bach. Medicamentos homeopáticos e aromaterapia também ajudam. A Bioart e a Tisserand tem óleos perfumados (tipo mini perfume roll on) que ajudam a levantar o astral. Acupuntura e massagem são excelentes contra dores musculares e reumática, porque é difícil ser feliz sentindo dor.

3. A meditação também ajuda. A meditação ajuda a mudar a sintonia do pensamento. Nossos pensamentos são como ímã, por isso é bom pensar positivo. Acho esse vídeo perfeito, pois você aprende a meditar em um minuto:

 


4. Atividade esportiva. Quando adolescente adorava peteca, ainda jogo nas férias. Coisa de mineiro. Hoje participo das aulas de Jump da academia. Muito animação. Corpo sã, mente sã.

5. Viajar e fotografar. Estou amando os dois. Gostaria de fazer mais. Participo de concursos de fotografia, pois quero um novo modelo de máquina digital. No começo tinha muito receio de viajar sozinha. Eu viajei por lugares muito bonitos, conheci pessoas muito legais e algumas (muito poucas) desagradáveis. Mas se você se esconder, vai deixar os desagradáveis aumentarem e se tornarem muitos. Seja a resistência: viaje, seja feminista e aproveite por mim, por você, por todo mundo!

6. Dançar. Música de academia são animadas, adoro Jump com aquelas músicas. Zumba também é legal, meu professor escolhe músicas latinas, muito bom. 

7. Escutar música e cantar. Já escutou Uakti? Cantar não é meu forte. Às vezes, eu canto minhas versões quando estou mal humorada e desanimada: 


8. Ter uma boa alimentação. Precisamos de uma boa alimentação para manter o nosso corpo, mas dependendo precisamos de algum reforço (suplemento) para ajudar. Como vai sua B12 e vitamina D? Tem várias opções no mercado para veganos, vegetarianos e onívoros.

9. Eu adoro ler e assistir filmes, documentário e seriados. Quando é filme sobre um livro, fica melhor ainda. Harry Potter é um dos que mais foi fiel ao livro.  Autores que recomendo: Luís Fernando Veríssimo, Quino, Dan Brown, livros de receitas, etc.


10. Cozinhar. Quando eu tinha 9 anos, eu fiz biscoitos fritos. Horríveis (eles ficaram gigantes e sem gosto), mas eu, meu irmão e meus primos comemos e ninguém morreu. Programas e vídeos de culinária ajudam muito. 

11. Terapia. Às vezes, temos segredos, traumas ou comportamentos que não queremos compartilhar com ninguém. Uma terapeuta (psicólogo/a) pode te ajudar nesses momentos.

Essas atividades tiram o foco da tristeza! Mesmo triste, foque na alegria! Uma hora a tristeza passa! Porque tudo nessa vida passa! Até a uva passa!

Com carinho,

Carla