quarta-feira, 6 de julho de 2016

Sensibilidade ao glúten

Olá,

Vou te contar uma história um pouco velha.

Eu tenho uma colega que tem ascendência japonesa. Ela participava de um grupo nipo brasileiro e eles falavam dessas denominações sansei, nissei, ..., mas não lembro qual era a dela. 

Uma dia ela veio me contar que tinha intolerância ao leite de vaca e que a carne vermelha e derivados afetava o intestino. E ela disse: "Minha família toda é assim."



E nós duas ficamos imaginando porque a família dela era toda assim. "Seus avós comiam carne vermelha ou leite" e "E os antepassados dos seus avós?".

Ficamos pensando sobre aquilo. Chegamos a conclusão que a genética da família dela não estivesse adaptada aqueles alimentos. Por algum motivo eles não adaptaram.

Leia o texto "Alergia e intolerância ao leite de vaca".

Fiquei pensando na origem do gado. O gado doméstico (Bos taurus) derivado de espécies da Europa e Índia. Na Europa desenvolveu-se a produção de leite e de carne.  Talvez isso explique o texto acima de "15% dos europeus" apresentem algum intolerância a lactose, pois o desenvolvimento aconteceu lá e teve maior tempo para adaptação comparados aos da Ásia Oriental (90%).

Hoje estive pensando sobre o glúten. Os exames que existem hoje: endoscopia e biopsia são para diagnosticar a pessoa quando ela já apresenta os sintomas da doença celíaca. Também existe o teste genético. 

Uma pessoa pode não ser celíaca, mas ter sensibilidade ao glúten. O exame pode não diagnosticar a sensibilidade ao glúten, pois os sintomas podem ser não clássicos:

- baixa quantidade de ferro, vitamina B12 ou de ácido fólico;
- anemia;
- cansaço;
- perda de peso súbita ou inesperada (mas não em todos os casos);
- úlceras na boca;
- perda de cabelo (alopecia);
- erupção cutânea (dermatite herpetiforme);
- problemas de dente esmalte;
- depressão;
- alterações hepáticas;
- abortos repetidos;
- neurológicos (nervos) problemas, tais como ataxia (perda de coordenação, falta de equilíbrio) 
e neuropatia periférica (dormência e formigamento nas mãos e pés).

Há casos de assintomáticos (não apresentam sintomas).

Então, vamos saber mais sobre o glúten. O glúten está presente em algumas espécies de plantas domesticadas e que tem origem no Oriente Médio. As plantas são: trigo, cevada, triticale (híbrido do trigo com o centeio) e centeio. Os países do Oriente Médio:



O glúten é uma mistura de proteínas (gliadina e glutenina).




O processamento de alimentos iniciou junto com a Revolução Industrial. Com isso vieram os alimentos embutidos, processados e com muito glúten:


Essa revolução alimentícia foi tão rápida que algumas pessoas não se adaptaram a presença de ingredientes de outras regiões. Precisamos de muitos séculos para isso.

Essa dificuldade de diagnosticar a sensibilidade ao glúten é no mundo inteiro.  

Mais informações:






6) VeryWell (gostei desse site, é em inglês. Tem explica bem e tem boas imagens) 

Tchau,

Carla

Nenhum comentário:

Postar um comentário