domingo, 5 de junho de 2016

Dia Mundial do Meio Ambiente

Olá,

Hoje é o dia Mundial do Meio Ambiente. Na verdade, é só uma data para comemoração oficial, pois o dia do Meio Ambiente é todo dia.

Sempre leio notícias positivas sobre cuidados com meio ambiente no exterior e muito destrutivas em relação ao Brasil. Eu li uma reportagem hoje sobre Belo Horizonte/MG e gostei da ideia da compartilhar:

Parceria Verde - Voluntários ajudam a conservar praças de Belo Horizonte


Parceria entre a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e a comunidade belo horizontina, o projeto "Adote o Verde" surgiu para possibilitar a implantação e, principalmente, a manutenção de parques, praças, jardins, canteiros centrais e outras áreas verdes públicas da capital mineira. O objetivo é criar ambientes de lazer e contemplação, embelezando a cidade e melhorando a qualidade de vida da própria população.

Foto do site Adote o Verde.
Regulamentado pelo Decreto nº11.484 de 15 de outubro de 2003, o programa é responsável, hoje, por cerca de 400 espaços adotados. Qualquer pessoa ou empresa pode contribuir. O convênio é simples e delimita as responsabilidades das duas partes, definidas em comum acordo. A adoção acontece quando o voluntário entra em contato com a prefeitura, iniciando um processo em que o cidadão se torna totalmente encarregado pela preservação do local, sem qualquer retorno financeiro.

"Quando a adoção é feita por uma pessoa jurídica, também ocorre com o intuito de ter um retorno comercial, já que ali será informado que a praça foi adotada pela empresa", conta Cléia Assis, aposentada, adotante da praça Acácia Amarela, na rua Montevidéu com Venezuela, Sion. "Então, de certa forma, o espaço público será utilizado para fazer uma propaganda, seja por uma placa, que pode ser colocada no canteiro, ou de alguma outra forma. Já com a pessoa física, como eu, trata-se de um voluntariado, sem busca de nenhum retorno comercial. Nesse caso, adotamos o verde por puro amor e vontade de ajudar, de preservar aquilo que está ao nosso redor", explica.


Cléia com o marido João: "A gente faz com gosto"
Clélia é voluntária da regional Centro-Sul há 9 anos e realiza todas as tarefas junto ao marido, João Silvério. O casal transformou uma área que era suja e mal conservada, regando as plantas e fazendo tudo manualmente. Segundo ela, manter o local limpo ainda é um desafio, já que é depredado por alguns moradores, que jogam lixo e deixam seus cães subirem na grama. Mesmo assim, sente prazer em cuidar da natureza, orgulhosa por ter recebido prêmios pelo bom zero com a praça no Concurso Cidade Jardim. "A Defesa Civil retirou 8 caminhões de entulhos. A iluminação também era precária, tornando o lugar muito escuro, aumentando o número de assaltos por ali", afirma. Os dois nasceram no interior de Minas e foram criados na fazenda, e viram no programa uma maneira de ajudar na preservação do meio ambiente e se aproximar da natureza. "A gente faz com gosto. O sentimento de pertencimento, cidadania, cuidado e parceria com a comunidade é gratificante", completa Cléia.

Cada região da cidade possui uma administração que cuida da distribuição das áreas daquele espaço. Célia Silva, dona de casa, é adotante da praça Conjunto Celso Machado, na rua Brasilândia, regional Pampulha. Assim como Cléia, resolveu conservar o jardim próximo à sua casa por iniciativa própria - é só depois conheceu o projeto "É maravilhoso poder morar em frente a uma área assim e cuidar, ver tudo verdinho e florido. Levanto cedo para regar as plantas com os passarinhos cantando. Sempre brinco que dou banho em beija-flor, porque eles ficam dançando na água da mangueira enquanto faço o meu trabalho", diz.

A cada estação, a prefeitura realiza uma vistoria em todos os espaços adotados e dá as devidas orientações, além de ajudar na poda das árvores e galhos maiores e, às vezes, na adubação, mas a maioria das tarefas é mesmo responsabilidade do voluntário. "Faço a limpeza e a irrigação do jardim quase todos os dias, e também supervisiono os cachorros e as crianças que passam por ali. Cuido das plantas como se fosse o quintal da minha própria casa. Os moradores elogiam bastante e agradecem pela minha iniciativa de ir lá e colocar a mão na massa", finaliza Célia.

Célia Silva: "É maravilhoso morar em frente a uma área assim e cuidar".
De acordo com a prefeitura de Belo Horizonte, a cidade ainda conta com um alto número de áreas disponíveis para adoção, distribuídas entre 529 praças. Os interessados devem entrar em contato com a Secretaria do Meio Ambiente pelo e-mail: adoteoverde@pbh.gov.br ou através do telefone (31) 3246-0541. Leia no site mais informações: Adote o Verde.

Foto do site Adote o Verde.
Reportagem da Renata Rocha, publicado no jornal TudoBH.com.br

Tudo de bom a sua pessoa,

Carla

Nenhum comentário:

Postar um comentário