segunda-feira, 1 de junho de 2015

Salgadinho orgânico - Mãe Terra

Olá,

Fui a uma loja e me lembrei da minha infância, quando minha família me levou ao cinema para assistir aos Trapalhões. Velhinha...

Uma pirueta, duas piruetas...
Na maioria das vezes, o meu cinema era a sessão da tarde da Globo.


Hoje tem tanta variedade de coisas para crianças e adolescentes! Mas algumas coisas não mudam!

A bibliotecária de onde eu trabalhava me contou que o livro mais cobiçado da biblioteca era “Diário de um banana”. São mais de 20 alunos na lista de espera.

Diário de um banana.
Nunca li o livro, mas assisti a uma parte do filme, achei que tivesse atores famosos, mas não. Era um filme com linguagem simples, mas humorado.

Meu irmão caçula também gostava de cinema e lembro de uma vez que ele queria muito assistir ao filme da Xuxa. Ele devia ter uns sete anos, ele gostou tanto do filme.

Não precisa de muito sofisticação para conquistá-los.


A bola deve ser o brinquedo mais pedido do mundo.
Quando eu vou ao cinema sempre gosto de comer pipoca ou salgadinho de milho. Hoje esses salgadinhos são polêmicos devido ao alto teor de sal, gordura, açúcar e corantes artificiais em seus ingredientes. Famílias sempre proíbem comer essas coisas. O ideal não é proibir, é dar uma alternativa. 

Pipoca é muito bom.
Vi em uma loja os salgadinhos orgânicos da Mãe Terra. A empresa garante que os produtos são integrais, sem corantes artificiais e fontes de fibras, proteínas e vitamina B9.

Os salgadinhos são feitos a base de milho e arroz orgânicos e sabor não é tão salgado como os outros. O produto contém glúten por passar em máquinas que processa glúten. Tem 3 sabores:



Pitza


Sabuguinho.


Ceboloko.
O preço é mais caro, mas os sabores são suaves e a qualidade é melhor. É uma boa alternativa. 


Devemos colocar a embalagem no lixo!

Tchau,

Carla