quarta-feira, 17 de julho de 2019

O futuro do estudar

Olá,

A coisa mais chata do mundo é ESTUDAR. É difícil e complicado. Se estiver com dor de cotovelo, pior ainda. 

Mas dizem que se você não o faz, não tem FUTURO. 

Pela primeira vez, eu tenho que concordar com os meus alunos: "Estudar?" "Que futuro?".

Sempre os achei pessimistas, mas talvez estejam sendo só realistas. Isso é melhor que a sensação de ter sempre as portas fechadas. 

Fiquei com vergonha de exigir tanto deles. 
.......

Eu tentei pedir ajuda quando percebi que tudo estaria ficando assim. Mas não ajudou.
....

Ano passado... ano que enxergava futuro no estudar, acho que isso vai ficar bem no passado... eu fiz um questionário para tentar traçar um perfil de leitura dos alunos. Como não tenho conhecimento aprofundado na área de educação e neuropsicologia, funcionou só para uma triagem para ajudar a perceber alguma falha e possíveis ações de melhorias.

Deu para montar uns gráficos comparativos:






Não é o questionário completo, mas deu para perceber que dificuldade de leitura é mais expressiva no público masculino. E as meninas com dificuldade exibem um perfil parecido com os meninos. A dica seria trabalhar revistas em quadrinhos e mangá, pois eles gostam - Maurício de Souza é "o cara" para a maioria - e tem o recurso da imagem que ajuda a interpretar. 

Isso é só para ajudar, outros fatores como família, raça e condição socioeconômica afetam muito - muito mesmo! -, mas foram ignorados para facilitar a pesquisa.

....

É, no futuro eu não vou estudar. É melhor admitir: estudar não dá futuro. E acordar cedo  dá muita olheira. 

Desejo que a sua semana seja melhor que a minha.

Carla

terça-feira, 16 de julho de 2019

Não passei no ENEM 2018

Olá,

Eu não fui bem no 2º dia de aplicação do ENEM 2018, tive uma forte dor de cabeça e isso me deixou muito lenta. Tentei resisti. 

Não é fácil quando você tentar retornar para a universidade. Na verdade, nunca foi uma meta saí. Eu fui retirada dali. O meu gênero feminino, a minha cor e minha limitação me marginalizam muito. 

E o tempo da prova não dá, o seu curriculum não é bom, não tem bolsas para todos, quem entra por "vaga reservada" entrou pelas porta dos fundos, já passou o seu tempo, essa idade é hora de casar e ter filhos, seu inglês não é fluente... são mil e uma frases que fui e sou obrigada a escutar.

Os anos vão passando e tudo vai se tornando mais difícil.  

Isso é de morrer. Pelo menos uma notícia boa, um eclipse:


quinta-feira, 11 de julho de 2019

Altas Habilidades e Superdotação

Olá,

Aos poucos, modifiquei o blog com marcadores e, um deles, gerou incômodo: “Altas Habilidades/Superdotação”. A ideia é compartilhar e “dar moral” para aqueles que, como eu, tem uma ou habilidades – às vezes, acompanhado com algum transtorno/síndrome – e não foram “devidamente assessorados”.

E o “devidamente assessorados” me deu problema. As boas mamães de família e suas respectivas ninhadas ficaram magoadas comigo. E eu não tiro a razão deles.

Essas "corujas 🦉♥️" se empenharam com louvor para o futuro promissor de seus filhinhos. Foram capazes de embutir, desde a tenra infância, o espírito competitivo e voraz de um típico aluno disciplinado e nota 1000! Elas merecem muitos aplausos, porque seus filhos nunca foram motivo de reclamações, muito pelo contrário, somente de elogios e em qualquer recinto, inclusive o escolar.

Mas não são todos que tem a sorte de nascerem em famílias esclarecidas e estruturadas – emocional e financeiramente – é para essa minoria que eu tenho me dedicado. Essa também é uma parte da minha história... não temos sobrenomes estrangeiros, árvore genealógica e, muitos menos, somos descendentes de pessoas importantes. 

E “eles” são tão minoria, que seu eu tiver um lendo o blog é muito. 

Não somos alunos fáceis de adaptar e passar em um concurso disputado em primeira ou última colocação nunca foi uma realidade comum entre nós.

Convivemos com a exclusão até em locais que prometem incluir.

Tchau,

Carla

terça-feira, 9 de julho de 2019

Limpeza da lavadora x Consumo de água

Olá,

Eu sempre tento reduzir o consumo de água no dia a dia. Por exemplo, não tomo banhos prolongados ou deixo a torneira aberta por longo tempo. Mas eu gosto de andar limpinha, então meus banhos são diários e minhas roupas são limpas. 

Eu uso máquina de lavar roupa e quem manuseia sabe que com o tempo de uso ela tem de ser limpa, pois por causa das brechas entre o tambor/cesto - local onde coloca a roupa - e carcaça, centrifugação, gravidade, sabão e amaciantes há uma acúmulo de sujeira na parte inferior. 

Esse é o meu problema, pois a minha lavadora é uma Turbo Compacta 7 Kg da Electrolux LTC07 (abertura superior), então acredito - nunca abrir para ter certeza absoluta - que o acúmulo de sujeira seja mais intenso na parte inferior (gravidade!).

Adquiri a máquina em abril de 2013, foi o ano que Paul McCartney
fez um show em BH pela primeira vez. 
No manual de instruções há a recomendação de que aconteça uma limpeza - no mínimo - mensal: 


Mas me incomodou seção 7.1 Parte Interna, ampliei:


É recomendado uma limpeza mensal em que deve ser programado as seguintes opções:

1) o nível de água: ALTO + 1 L de água sanitária + Molho Dinâmico (deixar um tempo - fica a seu critério);

2) Enxágue e Centrifugação.

A minha crítica é em relação ao consumo elevado de água para um produto que garante um menor consumo de água.

No nível ALTO é gasto, aproximadamente, 212 litros de água. No molho dinâmico a lavadora enche uma vez para amolecer a sujeira, então são consumidos os 212 litros de água. A outra opção, 2, joga a água com alvejante (água sanitária) fora e enche novamente com os 212 litros. Depois centrifuga, expulsa a água novamente.

Isto é, em uma limpeza mensal são gastos 424 litros de água. Em um ano, são 12x424 = 5088 litros. Acho mais desperdício do que realmente uma eficaz limpeza, pois em uma das vezes, essa higiene recomendada não foi suficiente e manchou muito as minhas roupas.

Enviei uma sugestão para empresa, pedindo um outro design onde seria mais fácil uma limpeza manual e com redução no gasto da água. Mas o SAC me deu uma resposta generalizada, assim eu acho porque eu quero uma solução para a minha, sem dinheiro - por agora - para comprar outra lavadora:

O site Reclame Aqui também serve para dar sugestões,
pedir informações e até elogiar uma empresa.
Como sou brasileira e não desisto nunca, procurei mais informações na internet de como poderia abrir a minha máquina velha para limpeza manual e com baixo uso de água e olhem o que achei:


Se ele gastou 10 litros fazendo uma limpeza manual é muito. Muito econômico para o ambiente. Eu ainda não consegui fazer isso na minha por falta de tempo e material (não tenho soquete em casa)... arghhhh 😰... mas um dia eu consigo. 

Não quero adquirir outra lavadora sem ter certeza absoluta que não há necessidade do consumo de, no mínimo, 400 litros para limpeza mensal! 

Tudo de bom,

Carla

quarta-feira, 3 de julho de 2019

Alívio da dor

Olá,

Eu vivo sentindo dores no corpo e alivio isso usando um aparelho para massagem e óleo de copaíba. 
Faço isso para evitar o uso de medicamentos, como DORFLEX
Sinto muitas dores nas costas e por causa da proximidade, os meus cabelos ficam oleosos com o uso de óleo.
Para ter maior praticidade - posso carregar na bolsa - e evitando o aumento da oleosidade nos meus cabelos, estou usando um gel tópico que ajuda a aliviar as dores. 
Já fui ao ortopedista para verificar, pois as dores são, principalmente, nas costas - pescoço e ombros - e o exame não apontou nada. 
Pela dor ter uma origem no pescoço, achei que poderia ser algo relacionado a vértebra e nervos. O médico - neurologista - me pediu uma ressonância magnética da região e no resultado também não apareceu nada. 
Então, agora vou procurar um anestesiologista para tratamento de dor. Mas antes quero compartilhar o gel tópico que tem sido mais eficaz quando a dor está forte:

PROBENXILâ  GEL - 60 g - CIMED

Composição:
Cada grama contém:
diclofenaco dietilamônio.....................11,6 mg*
Excipientes**q.s.p.:......................................1 g
*equivalente a 10 mg de diclofenaco sódico
** álcool cetílico; álcool estearílico; álcool isopropílico; água purificada; carbômero; edetato dissódico; metilparabeno; miristato de isopropila; petrolato líquido; propilenoglicol; propilparabeno; estearato de sorbitana; trolamina; polissorbato 60; mentol; cânfora e essência de eucalipto

Para que este medicamento é indicado?
Probenxilâ Gel é indicado para aliviar a dor e reduzir os sintomas da inflamação como inchaço e dor, nas seguintes condições:
*Entorses, lesões, contusões, distensões, torcicolo, dores nas costas, dor muscular, dor pós-traumática, lesões causadas pela prática esportiva;
*Tendinite, cotovelo de tenista, bursite;
Alguns tipos de artrites leves (artralgia, dor articular) nos joelhos e dedos. 


O seu uso não é recomendado para menores de 14 anos!

Eu já usei gel parecido da MEDLEY e aqueles adesivos - servem para depilar e queimar a região - não foi tão eficaz contra dor como o Probenxilâ

Já fiz algumas sessões de Fisioterapia e Acupuntura, mas por causa do trabalho está difícil para ficar deslocando... eu moro longe e não tenho transporte coletivo que faça ligação rápida entre os dois trabalhos e a minha residência... vida de professora e eterna estudante... argh 😟...

Se você estiver com dinheiro sobrando vale a pena investir num produto da OMRON chamado "Estimulador Neuromuscular" e tem na opção "Control" (mais barato) e "Premium" (mais caro - 15 níveis de intensidade e 3 modos de massagem relaxante), eu vi na revista da POLISHOP. Você diminui a sua dor, sem nenhum fármaco. Eu quero.... mais sem din din... buááááááá.... 😜


Misturinha do gel com óleo d
copaíba... massagem
antes de dormir


Orando para as férias chegar logo! Tchau e tenham uma semana iluminada. 👼💓

sábado, 22 de junho de 2019

Essa semana e as redes sociais


Olá,

Aprendi, em Viçosa/MG, que preciso compartilhar com o meu próximo aquilo que adquiri como conhecimento.

E um dia estive a pensar como poderia ajudar a Educação a se tornar melhor.

Cheguei a conversar com alguns colegas de trabalho e haviam várias suposições para o mau comportamento ou baixo índice de leitura entre os alunos. Mas não tínhamos nada concreto.

Lembrei do filme da Temple Grandin que, para conseguir que seu Abraço Mecânico continuasse no campus, ela teve que fazer uma pesquisa com voluntários testando o seu aparelho enquanto eles respondiam um questionário sobre as sensações que o mesmo provocava nelas durante o abraço exótico.

Não sei por qual motivo eu demorei muito para me tocar que poderia fazer algo similar, mas para responder uma pergunta docente: Por que os alunos não estão lendo quanto deveriam?

Montei um questionário com aproximadamente 30 perguntas, mostrei aos professores de Língua Portuguesa e fui à caça de alunos. Muitos se recusaram a responder (Vale ponto, professora?), alguns chutaram qualquer resposta...; mas foi uma minoria diante de um grupo que respondeu com certa seriedade – Ok! Eu alterei o tom voz para conseguir o que queria. A coleta de dados aconteceu em dezembro de 2018 e, esse ano, consegui fazer alguns gráficos para mostrar aos professores de Língua Portuguesa e dar um norteamento para ações mais precisas.
...

Faz um tempo que recebo convites para entrar na rede social para negócios Linked IN. Acho legal a ideia de deixar seu currículo para todos verem. Mas o que vou dizer sobre mim?

Mais de 500 milhões de usuários | Gerencie a sua identidade profissional. Crie e interaja com a sua rede profissional.

O Curriculum Lattes também é interessante, mas focado na formação acadêmica. E novamente a dúvidas: o que vou dizer sobre mim? Vamos tentar:

Carla Fernandes

“Quase 40 anos, mas dependendo da situação fala que tem 50 anos para escutar: Nossa! Como você está conservada!

“Pessoa esquisita que investiu na beleza para parecer menos esquisita.”

“Fez Licenciatura em Ciências Biológicas na UFV, porque não conseguiu terminar uma disciplina da Botânica para ter direito ao bacharel – a professora ficava me observando, sentia medo dela e larguei a disciplina.”

“Queria ser modelo profissional porque escutou a infância inteira que era magrela, raramente falava e andava na ponta dos pés. Aos poucos, foi descobrindo que gostava mais da fotografia e arte.”

“Após a faculdade, fez um curso técnico em Química, pois queria entender mais sobre as plantas e investir no mestrado. Gostou muito do curso, mas ao pesquisar sobre o mestrado perto de um menino de 5 anos, ele questionou: Mestrado serve para quê?, como não conseguiu responder a pergunta, ela desistiu do mestrado.”

“Desde o término da faculdade, ela é professora.”

“Se inspirou em Temple Grandin para fazer questionários de Língua Portuguesa.”

“Ponto final.”
...

Durante um período, eu fuçava as redes sociais e ficava imaginando que eu tinha tantos amigos em comuns com uma determinada pessoa, mas porque será que eu nunca fiz amizade com ela? Sempre nos mesmos lugares e com as mesmas companhias... por que será que ele nunca me cumprimentou?

E me culpava... procurava defeitos ou episódios da minha vida que me tornavam tão assim... 

Até o momento que dei um basta... a ideia de ser inimiga me tranquilizou. 😈😈😈


Tchau,

Carla

sexta-feira, 14 de junho de 2019

Greve geral, IDEB e educação


Olá,


Eu estudei na escola pública praticamente a vida inteira. Tenho algumas boas lembranças de colegas de sala e professores, mas quanto a estrutura – prédio, mesas, cadeiras... – eu sempre reclamei. Uma coisa que me incomodava era o número de alunos em sala. Sempre achei muito e afetava a qualidade de aprendizagem também.

Os anos foram passando e, com dificuldade, consegui uma vaga no curso de licenciatura na universidade pública. Tive de me deslocar para conseguir o tal sonhado diploma, mas fui. Assim que formei, comecei a trabalhar como professora e a questionar várias coisas que pareciam não ter se alterado com os anos, aliás em alguns quesitos até pioraram:
  • Por que em um momento da História da Brasil em que está acontecendo um aumento na inclusão social e econômica, o número de alunos por sala continua o mesmo?
  • Por que, ao acontecer modificações na escola, nunca vemos um engenheiro ou arquiteto fazendo o acompanhamento das obras com sugestões dos educadores?
  • Por que algumas salas de atividades específicas, como laboratórios e jogos, foram desmanchadas sem aviso prévio ou autorização dos professores atuantes?
  • Por que em algumas escolas sofríamos ameaças estipulando o máximo de alunos que deveriam ser retidos? (É, alguns alunos são aprovados sem o mínimo de domínio em áreas como Língua Portuguesa e Matemática esperado para a faixa etária).

?????????????????????????????????????????????????????????????????????????????

Até o momento o dia que me explicaram sobre o tal do IDEB: Índice de Desenvolvimento da Educação Básica foi criado em 2007 e reúne, em um só indicador, os resultados de dois conceitos igualmente importantes para a qualidade da educação: o fluxo escolar e as médias de desempenho nas avaliações. Site: IDEB.

Isto é, são duas variáveis que afetam essa pontuação do IDEB:
  • Número de alunos;
  • Desempenho nas avaliações externas aplicadas, durante o turno, para os alunos visando diagnosticar o nível de aprendizagem esperado para a série ou ano avaliado.

Mas o que eu não sabia é que vários professores concursados em mandatos eletivos (direção, inspetores, secretaria, secretários e gerentes da Educação) recebem/recebiam gratificações (aumento salarial) para manter ou aumentar o IDEBPutz! E aí começa a bagunça!!!

Um local que era para ter melhorado virou um inferno: salas de aula com infiltrações; mesas e cadeiras muito pesadas para crianças pequenas; escola com muitos projetos e pouco espaço; excesso de alunos em sala; baixo rendimento; professores doentes...

Antes já tínhamos problemas com faltas de verbas, mas os problemas pioraram devido a gestão e bom senso.

Hoje, estou participando da GREVE GERAL, mas fiquei sem graça de gritar pelos direitos de educação de qualidade. Porque os professores tem uma parcela de culpa nessa destruição do ensino público!


Não sei se isso teria ou tem acontecido por politicagem, mas eu não teria coragem de adoecer um colega de trabalho para conseguir dinheiro as custas dele! Ficaria com vergonha!

Tchau,

Carla