domingo, 15 de julho de 2018

Inscrições Fies e P-Fies começam amanhã

Olá,

Se perceber como um ser a margem da sociedade é uma coisa estranha. 

Não adianta, toda vez que vejo as palavras: ENEM, FIES, PROUNI, SISU, eu fico um pouco abalada.

Não passei no ENEM e não posso com SISU. Só sobrou FIES

Alunos de baixa renda têm que pagar. Ninguém merece isso. 

Eu só consegui entrar uma vez na universidade e durante todo tempo me esforcei muito para não ser expulsa... 😂... esse sistema me coloca para fora o tempo inteiro... 😂

Ser um ser indefinido te coloca muito a margem de tudo. É pior do que ter laudo.

Jair Bolsonaro que segue a linha da extrema direita e direita, a favor de privatizações e contra tudo ligado socialismo, tem um filho do tipo "fiel escudeiro" formado pela universidade pública. ???????? 😕 Muitos colegas que são ex-alunos da UFV são assim: querem privatizar tudo, não namoram colegas universitárias porque são vadias e formam na universidade pública, entram em cargos públicos. Juro que não entendo tantos extremos nesses seres! 

Vou parar de tentar entender o meu país!

Para quem não sabe, as inscrições para o FIES e P-FIES começam amanhã! Boa sorte a todos os geeks e nerds! 😃

Tchau,

Carla

sexta-feira, 13 de julho de 2018

Educação para os que não sabem

Olá,

Só porque eu tenho uma facilidade em aprender algo, não significa que sou perfeita em tudo que faço ou que tenha habilidade em todas as áreas de conhecimento ou que não precise de ajuda.

Por exemplo, eu só aprendi a ler e escrever porque fui alfabetizada por alguém. Mesmo assim, cometo muitos erros e não me lembro das regras de acentuação e crase. Quando criança era apaixonada por dominó, achava lindo as diferentes quantidades de bolinhas pintadas em um retângulo preto, amava fazer combinação deles. 

Ou seja, mesmo com facilidades eu preciso de muita ajuda.

Estive pensando em um povo que se tornar referência para os outros, levando em consideração que ninguém nasce sabendo algo. Por que essas pessoas não cometem tanto crimes quanto nós? Por que eles são mais comportados do que nós? Por que os filhos deles são menos vítimas de abusos que os nossos? Por que a saúde lá é melhor que a nossa? Por que a segurança lá é mais eficaz que a nossa?

Muitos países se formaram pela união, não muito igual, de vários povos. Como eles conseguiram equilibrar as enormes diferenças para conseguir um progresso?

A solução é a EDUCAÇÃO. Para cortar maus comportamentos, preconceitos e ignorância; a educação é eficaz. De acordo com Aristóteles, a educação tem raízes amargas, mas seus frutos são doces. Isto é, seus doces frutos são duradouros e perpetuam por toda a comunidade.

E se for necessário para a população, caberá ao governo fomentar dentro das escolas campanhas de vacinação, higiene, bons modos, culinária, educação doméstica, educação financeira, sustentabilidade, humanismo, prevenção ao abuso sexual, exames oftalmológico, controle de peso, e outros. 

Educação não é só saber ler e escrever!

Eu estudei em Universidade Pública e convivi com colegas que vieram de colégios particulares de referência, bairros nobres e com famílias. Isto não significava que eles tinham bons modos, sensibilidade ou respeito com o próximo. A maioria era bem egoísta e mal educada. Só eram mais privilegiados e se vestiam com mais classe. Se eu contar o que já vivenciei dentro de república vai dar um filme de terror da sexta feira 13 com muito sangue, gritos e rock!

Aprendi uma série de comportamentos porque alguém me ensinou. Nem tudo foi possível adquirir dentro da minha casa, com a minha família. Não sou um robô, e só aprendo vendo e praticando. E o que torna isso possível é a educação.  

Tchau,

Carla

quarta-feira, 11 de julho de 2018

Bruxismo, o meu ranger de dentes

Olá,

Minha psiquiatra me alertou que deveria ficar só estudando, dedicando inteiramente ao estudo para realizar as minhas metas esse ano. 

O problema não é cumprir isso. O meu maior problema tem sido lidar com uma séria de sintomas que tenho e que até o momento eu não sabia a origem.

Sempre tive bruxismo, ranger dos dentes. Isso afetou muito os meus dentes e gengiva, tornando a minha boca mais sensível. Quando uso creme dental com a substância "lauril sulfato de sódio", tudo piora e a gengiva incha. 

Perguntava para os dentistas o que poderia ter provocado o bruxismo e escutava o mesmo: "estresse".

Uma dentista ela até me ensinou um exercício para fazer antes de dormir, assim diminuiria o efeito "bruxismo": abrir a boca, elevando a língua até o "céu" e contar até 30. De acordo com ela, esse exercício ajudaria a relaxar a região. Mas o ideal seria o uso de uma placa para não desgastar os dentes.
Imagem do site "AbcMed"

Fui procurar na internet mais informações a respeito das possíveis causas do bruxismo e, novamente, me deparo com a palavra: Autismo.

Em todos os sintomas que sinto: dores de cabeça, sensibilidade auditiva, transtorno de ansiedade generalizada, bruxismo, situações que me incomodam, problemas intestinais.... e essa palavra aparece mais.

Gostaria que houvesse um teste como um exame: azul para POSITIVO, vermelho para NEGATIVO. Mas coisas não funcionam assim. E as suspeitas só aumentam. Mas por enquanto ninguém afirma algo certo. 

E fica essa dúvida. 

Uma boa música sempre ajuda um pouco. Eu estou escutando Canto das Florestas do Reginaldo Frazato Jr., mas no Youtube só consegui isso (versão para bebês):


Tchau,

Carla

terça-feira, 10 de julho de 2018

Escolas gringas por youtubers

Olá,

Nunca tive a oportunidade de morar em outro país. Mas vendo a lista de países que lideram os Rankings de Educação, Saúde e Segurança, dá muito curiosidade.

Às vezes, eu fico perguntando para algumas pessoas que já moraram fora, mas as respostas são meio deficientes. Fofoca universitária:

Durante o período universitário muitos estudantes vão morar em outros países para conseguirem uma fluência em outro idioma, geralmente inglês e/ou francês. Mas era cômico escutar histórias de alguns que não estavam acostumados a ajudar na limpeza da casa sendo obrigados a trabalhar de garçonete ou empregada doméstica no chamado Primeiro Mundo. Eu achava engraçado, porque é algo que aprendi na infância/adolescência. Sempre lavei copo e, pelo jeito, vou continuar lavando. Oh vida! 😂

No site Lagarta vira Pupa, a blogueira e mãe conta a sua rotina com seu filho autista e o tempo que eles residiram fora do país. O vídeo é bem legal e realista:



O youtuber Ian Oliveira (adolescente que faz intercâmbio e estuda na escola pública americana) - ele só não explicou se há um controle central do professor para manuseio da internet pelos alunos-:


Tem o canal Família Russa, mas fica mais focado no dia a dia da mãe com seus filhos. Ela não apresenta uma visão crítica sobre as disciplinas, infraestrutura ou métodos pedagógicos. Mais uma curiosidade que me falaram sobre que a maioria das escolas são públicas na Rússia, algumas disciplinas são estranhas e a merenda tem de ser paga pelos pais dos alunos (seria uma taxa mensal para ter direito a uma merenda saudável):


Aulas de costura, marcenaria, línguas estrangeiras são algumas disciplinas das escolas suíças apresentadas pelo canal Do Outro Lado do Mundo (mas a moça não foi estudante lá... uma pena....):


O canal "Ela é americana" da Liana que trabalha e cuida do filho sozinha na Suíça - que corajosa -:

A Jéssica Hirata também é legal, mas fala mais da cultura japonesa - a escola também é ensina a fazer limpeza e outras coisas:


Tem a Vitória Mahon que estuda numa escola católica particular no Canadá (beijinho no ombro dela: ricaaaaaa!):


A Michelle Almendra fala sobre sua rotina numa escola internacional na Inglaterra, mas é voltado para aprimoramento da língua estrangeira, ela não tem tanta vivência:


A Emilly Almeida é uma fofa, ela estuda na Inglaterra e conta o dia a dia dela:


A Dri EveryWhere, é um canal da mamãe Adriana, foi o mais completo e maduro que vi. Fala desde a licença maternidade, salário, escola particular x escola pública:


A Glaciane Barroso fala da escola pública em Portugal com o filho dela. É divertido vendo ele explicar, apesar da pouca idade:


Se conseguir mais vídeos, eu adiciono depois!

Tchau,

Carla

domingo, 8 de julho de 2018

E "gol contra" ainda existe no futebol?

Olá,

Eu não estava torcendo tanto para o Brasil (futebol) quanto deveria. Estou muito ocupada estudando e trabalhando. Gostaria de ter assistido outros jogos, mas não dá.

Mas quando a equipe de futebol brasileira aparecia, eu colocava o meus adereços verde + amarelo e ficava na maior ansiedade. Nunca comi tanto amendoim torrado com sal e suco. 

Estou vendo muita gente xingando os jogadores por ter saído da Copa do Mundo Rússia  🏆. Ai! Tem que saber ganhar, mas também tem que saber perder. 

No último jogo, achei que o time jogou bem, principalmente no segundo tempo. O gol contra do Fernandinho foi uma fatalidade, poderia ter acontecido com qualquer um que estivesse no lugar dele. 



Eu não entendo porque ainda existe gol contra, as regras deviam ser revistas e gol contra tinha que ser cancelado/anulado - não sei o termo correto no futebolês⚽. Povo atrasado 💩. Dá para perceber que não foi com má intenção.


Não só o time do Brasil que faz Gol Contra:


Mais feio que a FIFA ⚽ ter cancelado esse tipo de gol, são alguns racistas xingarem e humilharem o jogador. Muito feio! Tem gente que não sabe perder, ganhar ou se divertir.

Nossa seleção nunca ficou fora de uma Copa do Mundo 🏆, independentemente se os jogadores eram ricos e famosos como hoje. Eles estão de Parabéns 💗 por manter essa tradição. Com ou sem taça 🏆, gostei do Tite e dos jogadores.

Por ter o maior número de torcedores do sexo masculino, o futebol não tem tanta classe quanto deveria. Mas coisas negativas acontecem em outros esportes também. 

Indico o filme "Invictus" (a luta de Nelson Mandela 📚 para combater o racismo em seu país através do esporte): 


Outro filme legal é "Eu, Tonya" (spoiler com opinião: ela não é a queridinha dos jurados por não ter uma típica família completa e feliz. Que absurdo! Imagine se não pudéssemos conhecer a incrível ginasta Simone Biles porque sua mãe é usuária de drogas - Simone foi criada pelos avós! Arghhh!). Tonya Harding é a primeira norte americana a fazer o "salto triplo axel", típico da patinação masculina


A patinadora japonesa Mao Asada também ficou famosa fazendo esse salto masculino (ela também já passou por situações desagradáveis. Um jornal japonês alegou que o nível de apresentação havia diminuído consideravelmente, e que se coubesse eles fariam uma notinha dela na seção das Olimpíadas de Inverno no jornal. Arghh! Povo chato!):



A gente precisa aprender a ser Verde & Amarelo 💚💛 todos os dias, com ou sem Copa do Mundo 🏆

Eu só acho que a acho que assessoria de imprensa da CBF ⚽ não é muito boa. Os jogadores brasileiros poderiam aproveitar o momento antes de algum jogo para fazer uma campanha positiva. Por exemplo, uma faixa pedindo orações para o time infantil de futebol preso na caverna na Tailândia! Ficaremos mais orgulhosas ainda. Eles estão precisando muito. 



Parabéns e obrigada seleção! Nosso Hexa 🏆⚽ não foi dessa vez, mas quem sabe numa próxima. Com ou sem troféu, desejo que consigam manter a nossa tradição! 😜  

Tchau,

💚💛Carla 💚💛

quarta-feira, 4 de julho de 2018

Aprovação automática nas escolas públicas

Olá,

Muito se fala a respeito da Educação Escolar de qualidade. 

Há diversos motivos para acontecer a evasão escolar. Para evitar isso, muitos projetos foram criados. Um deles, chamado Escola Plural, foi implantado a "Progressão Continuada" nas escolas municipais. Isto é, o aluno não seria reprovado, assim evitaria que os alunos retidos ficassem mais velhos em um ambiente de mais novos (esse detalhe de idade e tamanho foi apontado como um dos fatores de evasão escolar). Além disso, trocou-se até as notas (0 a 100) para conceitos (A, B, C, D e E) de forma a incluir mais. E, também, para reduzir gastos.


Atualmente, nas escolas municipais de Belo Horizonte tem os Ciclos (1, 2 e /4, 5 e /7, 8 e 9º anos) com reprovação nos anos finais de cada etapa (ou ciclo). Dessa forma, evitaria o terror da evasão. 

Eu não tenho dados concretos para afirmar se diminuiu ou não a evasão e, se os alunos formados no fundamental II conseguiram se formar no Ensino Médio. Realmente não tenho informações sobre isso. E, eu também não estudei por esse método. Formei na escola pública, mas só vivi a escola seriada, com reprovação em cada ano.

Na minha casa, todos têm o Ensino Médio (antigamente era 2º grau). Quando em um local todos têm um determinado nível de estudo, a tendência é serem todos iguais ou alguns conseguirem até um pouco a mais. Acho que meus pais não suportariam a ideia de conversar com filhos sem estudo. 😁

Mas quando estudava, a gente percebia as características dos colegas reprovados. A evasão vai além do desânimo de lidar com colegas mais novos. Está relacionado a isso e outros fatores, como: falta de dinheiro, falta amparo familiar, gravidez na adolescência... De acordo com a pesquisa da Márcia Jacomini, salvo raras exceções, os repetentes e evadidos da escola são os mesmos excluídos socialmente. Leia a pesquisa dela aqui.

Não acho correto crianças e adolescentes assumir um compromisso tão sério como essa "Progressão Continuada" ou "Reprovação em ciclos finais". Nem eu tenho maturidade para isso. Se tivesse feito isso durante o curso superior, eu iria me formar sem saber nada (eu já acho que não sei nada, imagina se tivesse certeza?).

A ideia atual de ter um programa gratuito como o NITIDA/UFMG que diagnostica, auxilia e atende alunos carentes parece ser o caminho mais viável. Tem que saber qual o real problema de aluno antes de sair aprovando ou reprovando. Talvez ele só seja um autista ou tenha déficit de atenção... acho a Progressão Continuada uma forma malvada para não incluir.   



Por exemplo, em casos de alunos com Altas Habilidades (superdotação) - diagnosticados e amparados - pode-se usar a Aceleração de série, ano ou ciclo. Como professora, nunca presenciei isso acontecendo. 

Percebam se os políticos tem ideias promissores na área da educação pública e se os filhos deles estão nessa escola que eles tanto modificam, alegando ser para o bem de todos. 


Tem aqui outra reportagem da Revista Escola, mas eu tenho receio dela. A Revista faz um comparativo com a Educação da Finlândia. Eu não gosto desses comparativos, porque eles são superficiais e a Finlândia tem uma história e contexto social completamente diferente do nosso Brasil. Mas fica aqui o link, caso queira ler.

Tchau,

Carla

terça-feira, 3 de julho de 2018

Eles não precisam

Olá,

Eu achei que as cotas do ENEM/SISU iriam privilegiar alunos "discriminados", "deficientes" e/ou de baixa renda. 

Mas na leitura da Lei 12.711, você perceberá a brecha que deram para alunos que não se encaixam nesse perfil. 

"De acordo com os dados do Inep, o Colégio Militar de Salvador tem classificação de nível socioeconômico considerado “muito alto”. No âmbito regional (considerando escolas públicas e privadas avaliadas na Bahia), o CMS está atrás apenas dos colégios privados Helyos e Acesso, ambos de Feira de Santana - segunda maior cidade da Bahia -, e do Colégio Anchieta, também unidade particular, em Salvador." Trecho retirado da Reportagem do G1.
-----------------------------------------------------------------------------------------------------
Eu achei que o Golpe (foram tantos, né?... o mais recente) se referia ao impeachment, isto é, estava relacionado somente a saída da Dilma Rousseff. Ela se rendeu a tudo: colocou gente da elite nas cotas, criou um monte de ministérios... tudo para agradar a oposição. Ela achou que iria agradar... só que não (estou aprendendo com adolescentes). A Senhora Dilma foi derrubada. 
-----------------------------------------------------------------------------------------------------
Um exemplo desse agrado, mas não desse tempo:

"Certo dia, o ex-presidente Juscelino Kubitschek sentou-se ao pé da cama da filha Márcia, que sofria de problema na coluna e, para consolá-la, disse que chegaria o dia em que haveria cura para todas as enfermidades. Isso ainda não aconteceu, mas, fruto desse desejo, em 1960 nasceu o hospital que dá esperança a milhares de brasileiros. O nome escolhido foi Sarah, em homenagem à mulher de JK, responsável por fazer o centro de reabilitação sair do papel. Coincidentemente, sara significa cura. É curando, não só as enfermidades do paciente, mas, sobretudo, as dores da alma, que a Rede Sarah atua.

Com dez unidades pelo Brasil e referência em ortopedia e neurologia, o Sarah é um hospital que pensa nas potencialidades do indivíduo. Adentrar nas dependências deste lugar inesquecível é ter a certeza de que, sim, é possível ter saúde pública de qualidade no Brasil." Cantinho dos Cadeirantes

Lindo, não é?! Infraestrutura, bons salários... Eles estão fazendo greve? Eles fizeram panelaço? 

Procurei saber um pouco mais do passado das pessoas que trabalham lá. Praticamente todos tem origem nas redes particulares de ensino com intercâmbio internacional, , fazem graduação na universidade pública e padrão de vida muito elevado, isto é, não teriam problemas para estudar em uma universidade particular. 

E o povo fica com raiva de quem realmente necessita da cota ou bolsa família. 

Tchau,

Carla